Umas e Outras

Umas e Outras

Chico Buarque

Se uma nunca tem sorriso

É pra melhor se reservar

E diz que espera o paraíso

E a hora de desabafar

A vida é feita de um rosário

Que custa tanto a se acabar

Por isso às vezes ela para

E senta um pouco pra chorar

Que dia! Nossa, pra que tanta conta?

Já perdi a conta de tanto rezar…

Num momento em que presenciamos as ações governamentais sobre as questões do aborto, é interessante observarmos sob a ótica antropológica e sociológica os “caminhos” pelos quais passam as mulheres no decorrer dos séculos.

Lei de atendimento deve reduzir abortos

Com a sanção integral, sem vetos, da lei que obriga os hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde) a prestar atendimento emergencial e multidisciplinar às vítimas de violência sexual, o número de abortos realizados de acordo com legislação vai cair, afirma o governo. Na sanção, a presidente Dilma Rousseff manteve a previsão de oferecer às vítimas os contraceptivos de emergência, a chamada pílula do dia seguinte, mas vai encaminhar ao Congresso Nacional um projeto de lei alterando a forma como a prescrição está descrita na lei. O termo “profilaxia da gravidez” será substituído por administração de “medicação com eficiência precoce para a gravidez decorrente de estupro”.

Nesses casos as mulheres foram vítimas de agressões.

Mas existe outro lado dessa história. A prostituição. Ela, muitas vezes, não foi o caminho escolhido, porém, estabeleceu-se como um caminho induzido.

Desde os tempos mais remotos é notável o exercício desta ação. Até virou “profissão” remunerada e sem lei que oriente o “trabalho” executado. Prostituição é a troca consciente de favores sexuais por dinheiro. A prostituição é praticada mais comumente por mulheres, mas há um grande número de casos de prostituição masculina em diversos locais ao redor do mundo.

Lembram-se do filme Gigolô Americano?

Richard Gere vive um gigolô. Na trama, ele se apaixona pela esposa de um político e é acusado de assassinar outra cliente.

Apesar de fortemente disseminada no senso comum, a ideia de que a prostituição seja a profissão mais antiga do mundo não encontra qualquer fundamento histórico ou antropológico, visto que os mais antigos registros de atividades humanas revelam as mais variadas especializações como agricultura e caça, mas raramente revelam indícios de prostituição, que normalmente exige um contexto social posterior. Posteriormente, ainda na Antiguidade, em muitas civilizações já desenvolvidas, a prostituição era praticada por meninas como uma espécie de ritual de iniciação quando atingiam a puberdade. No Egito antigo, na região da Mesopotâmia e na Grécia, via-se que a prática tinha uma ritualização. As prostitutas, consideradas grandes sacerdotisas (portanto sagradas), recebiam honras de verdadeiras divindades e presentes em troca de favores sexuais.

Wikipédia

Existe quem venda a virgindade também. Não será uma prostituta necessariamente. Pode ser meio caminho andado.

Escrevi sobre isso tempos atrás.

“Aquelas Mulheres de Atenas e a Catarina de Santa Catarina”

Catarina – A Deusa do hímen de ouro? Bota preço nisso!

A mais antiga profissão registrada na história é também uma das mais apreciadas pelos cineastas.

Até que ela é meio grega e meio índia… Será que vai ter escalpe?

Catarina de Santa Catarina-Folha de São Paulo

Vênus fecundada na grande espuma das praias do sul.

Já que estão liberando a “maconha” em vários lugares do mundo, o Brasil poderia ser o pioneiro na criação de um PMPMVPrograma Minha Puta Minha Vida! Regularizar a profissão e não importar putas de Cuba seria decreto discreto nessas paragens. Aproveitando, desta forma, a onda das “quebras de tabus”! Certamente o país não incentivará o aumento do índice de “Madalenas Arrependidas”! Bons salários e planos de saúde cinco estrelas.

A garota de programa, que cobra por alguns minutos de prazer, é retratada em diversas produções de Hollywood, e também desperta ódio, paixão e, muitas vezes, compaixão por onde passa.

Como cantava Chico Buarque em verso e prosa:

Se uma nunca tem sorriso

É pra melhor se reservar

E diz que espera o paraíso

E a hora de desabafar

A vida é feita de um rosário

Que custa tanto a se acabar

Responsável por consagrar Audrey Hepburn nos cinemas, a adaptação da obra de Truman Capote retrata uma acompanhante de luxo de Nova York que procura um homem rico para casar e, depois de cada noitada, sai para gastar o dinheiro em joias na loja Tiffany.

Minha saudosa sogra Sabine representando no palco da vida… Ela iria gostar muito desse artigo… Saudades!

E Julia Roberts então? Em “Uma Linda Mulher”!

O filme retratou o lado romântico da profissão, quando um rico homem de negócios (interpretado por Richard Gere) se apaixona e mostra que o amor é maior do que qualquer preconceito.

Um amigo meu diria, ao ganhar na sorte grande: “Agora não vai ter mais puta triste… Nem garçom pobre”!

Tendências a boemias!

Quando tive construtora e frequentava o SINDUSCON – Sindicato da Indústria da Construção Civil, tendo sido Secretário Executivo do Sindicato de Salvador na Bahia, ouvia dos empreiteiros de obras o seguinte: “Empreiteiros e construtores são iguais putas”!

Como assim? Perguntei!

Responderam uníssonos: “Eles estão sempre arrodeados de homens, só falam em dinheiro e juram que vão sair dessa vida”!

Perguntei para Mariana Guiss, minha eterna enteada, o que ela achava das putas! Sem titubear ela emplacou: “Acho que elas gostam mesmo é de dar”! Sábia resposta. É mesmo neta do saudoso Renato Schaitza! Objetiva e possuidora de um tirocínio genético sem par.

Se uma nunca tem sorriso

É pra melhor se reservar

E diz que espera o paraíso

E a hora de desabafar

Um Abraço pro Gaiteiro!

Ufa! Era só… Um sonho…

Ufa!

Era só…

Um sonho…

Demorei a dormir naquela noite. Estava com o ventilador ligado para amenizar o calor. Ensopado. Sentia-me como num banhado de ouro. Meu carro de ouro estava sendo rebocado. Antes de comprar essa joia, feita do metal mais precioso do mundo, eu morava numa cidadezinha atrasada do Golfo Pérsico. Mas já era bilionário. Possuía alguns bilhões de dólares. E não pagava imposto de renda. “Nem nos seus dias de maior fastígio os Rocke-fellers, os Morgans e os príncipes indianos conheceram fortuna que remotamente se comparasse à desse potentado”. (Edwin Muller).

A cidade ficava num país com uma área de 15.500 quilômetros quadrados (pouco mais da metade de Sergipe). Única, circundada pelo Golfo e pelas areias do deserto.

Acordei espantado, suado e ensopado. Gritei! Esse cara não sou eu! O do sonho… É claro!

O nome dele era Abdullah as-Salim as-Subah, e o lugar ainda é o Kuwait. Segundo a matéria de Edwin Muller, “O Creso do século vinte”, publicada na Revista Seleções do Reader’s Digest de setembro de 1952, que eu havia lido antes de pegar no sono, o xeque era proprietário pessoal e incontestável de muitos bilhões de dólares.

Relatando a eterna problemática existente na infinita distância entre os ricos e poderosos de uma nação e o povo pobre e desatendido, o autor salienta fatos que perduram até os dias de hoje em grande parte da superfície terrestre.

Encerrando sua belíssima matéria, Edwin Muller escreve:

Alguém já sugeriu que o soberano de Kuwait destinasse a maior parte de sua fabulosa renda à criação de um fundo para o desenvolvimento, em plano único, de todos os Estados Árabes do Oriente Próximo. Poderia haver contribuições para esse fundo por parte da Arábia Saudita e do Iraque, bem como pelas companhias petrolíferas estrangeiras, que estariam invertendo capital na estabilidade da Ásia Menor.

A administração de semelhante fundo envolveria dificuldades imensas, principalmente em virtude da falta de unidade existente entre os povos árabes. Os árabes tem um velho provérbio: “Nós, os árabes, apenas concordamos em discordar”. E, contudo, eles têm língua e religião comuns. Um plano econômico comum talvez conseguisse unificá-los. A iniciativa na elaboração desse plano só poderá partir de alguém dotado de grande clarividência. Talvez Abdullah as-Salim as-Subah, o homem mais rico do mundo, também venha a revelar-se um dos mais esclarecidos.

Google- intertwined infosys building Kuwait cobra tower.

É… Não escutaram Abdullah as-Salim as-Subah!

Google – Imagem- Invasão do Iraque no Kuwait.

Só para justificar o título “O Creso do século vinte”:

Creso foi o último rei da Lídia, da Dinastia Mermnada, (560–546 A.E.C.), filho e sucessor de Aliates que morreu em (560 A.E.C.). Submeteu as principais cidades da Anatólia (salvo a cidade de Mileto). Creso fora famoso pela sua riqueza, a qual foi atribuída à exploração das areias auríferas do Pactolo, rio afluente do Hermo onde, segundo a lenda, se banhara o Rei Midas (que transformava em ouro tudo o que tocava). Mandou construir o Templo de Artemis.

Ainda tentando entender o que estava acontecendo entre o sonho e a realidade, me encontrei aqui, neste Brasil varonil. Petróleo, ouro, gente rica, povo pobre… Embora a propaganda dos governos induza a uma imagem de melhora para as massas.

Ah! Se meu fusca de ouro falasse…

Google – Volkswagen Beetle in gold. Carro de Ouro

O petróleo brasileiro começou a jorrar.

O monopólio estatal do petróleo foi instituído no Brasil em 1953, pela Lei Nº 2004, que estabeleceu o monopólio da União na exploração, produção, refino e transporte do petróleo e criou a Petrobras para exercê-lo. Para defender a tese do monopólio estatal do petróleo organizaram um grande movimento popular, que ficou conhecido como a campanha “O petróleo é nosso”. A mobilização conseguiu impedir a tramitação do Anteprojeto do Estatuto do Petróleo no Congresso Nacional e muito contribuiu para a aprovação, em 1953, da referida Lei. Wikipédia, a enciclopédia livre.  Oscar Cordeiro abaixo:

Google – 1938. Criação do Conselho Nacional de Petróleo

Oscar Cordeiro, pioneiro da exploração do petróleo no Brasil, diante do poço de Lobato, na Bahia, nos anos 30.

Oscar Cordeiro não foi, certamente, o “O Creso do século vinte”.

Na década de 1930, a questão da nacionalização dos recursos do subsolo entra na pauta das discussões. Em 1938, toda a atividade petrolífera passa, por lei, a ser obrigatoriamente realizada por brasileiros. É criado o Conselho Nacional do Petróleo (CNP), que avalia pedidos de pesquisa e lavra de jazidas de petróleo. Em 1938, é iniciada, sob a jurisdição do recém-criado CNP, a perfuração do poço DNPM-163, em Lobato, na Bahia.

Blog do Planalto – Primeira Descoberta de Petróleo no Brasil.

Blog do Planalto – Plataforma elevatória P-1, primeira plataforma móvel de perfuração da Petrobras construída nos anos de 1967 e 1968.

Hoje… Maior feirão da história e do País: Petrobras coloca à venda parte do patrimônio no exterior…

A ausência de critério, segundo executivos da Petrobras, aparece também na parte mais valiosa do feirão: as operações da estatal na África. Cálculos do mercado e da Petrobras estimam o patrimônio no continente num patamar entre US$ 5 bilhões e US$ 8 bilhões. A Petrobras produz e explora petróleo em Angola, Benin, Gabão, Líbia, Namíbia, Nigéria e Tanzânia. De 2003 a 2010, investiu cerca de US$ 4 bilhões na África. (brasil agro – INFORMAÇÃO PARA TER OPINIÃO).

Os governos podem tornar “SECRETOS”, documentos de sua administração? Perguntar não ofende: São “secretos” os documentos relativos a financiamentos do governo brasileiro para Cuba e Angola, dois países socialistas. Pior ainda, a Angola é um dos países mais corruptos do mundo! Esses financiamentos do Brasil aos governos da Angola e de Cuba só poderão ser conhecidos os seus conteúdos a partir de 2027? O que é isso minha gente? Sacanagem explicita? O BNDES desembolsou, somente no ano passado, US$ 875 milhões em operações de financiamento à exportação de bens e serviços de empresas brasileiras para Cuba e Angola.

O que está por trás disso tudo?

Hoje o buraco é mais embaixo. Tem até pré-sal. Sem “O Creso do século vinte”.

Eliezer Batista da Silva – Google Imagem

Seria esse mineirinho de Nova Era, Minas Gerais, “O Creso do século vinte” brasileiro?

Essa sumidade diplomou-se pela Escola de Engenharia da Universidade do Paraná, em 1948.  Engenheiro ferroviário, em 1949 foi contratado pela Vale do Rio Doce – então uma empresa inexpressiva – e tornou-se seu primeiro presidente oriundo dos quadros da empresa, tendo assumido sua presidência em 1961. Coube a Eliezer Batista transformar a mineradora em uma das maiores companhias do planeta, presidindo-a de 1961 a 1964 e de 1979 a 1986.  Poliglota autodidata aprendeu sozinho russo, inglês, alemão, francês, italiano e espanhol, e adquiriu noções básicas de grego.

Sua fortuna foi transferida em herança para seu filho Eike Fuhrken Batista, que é um empresário brasileiro com atuação em diversos setores, em especial petróleo, logística, energia, mineração, indústria naval e carvão mineral. Que também está usando a roupagem “laranja” da Petrobras…

Google – Imagem

Frase de Lula…

Luiz Inácio Lula da Silva:

Eu jamais, jamais, deixarei de andar de cabeça erguida diante do povo brasileiro… Porque irei dormir todo santo dia com a consciência tranquila de que cumpri o meu dever.

A soma e o resto: um olhar sobre a vida aos 80 anos – Fernando Henrique Cardoso:

Mesmo em termos subjetivos, a ideia de felicidade, eu nunca busquei com denodo a felicidade pessoal.

Eu a tive de alguma forma, nunca me senti infeliz. Eu me dediquei muito mais a ver a situação dos outros.

De uma maneira modesta, sem proclamar.

Mas levei a vida inteira pensando no mundo, pensando na sociedade, pensando nas pessoas, nos outros.

O sentido que dei à minha vida foi construir isso.

Qual dos dois teria o perfil de “O Creso do século vinte”?

Talvez Abdullah as-Salim as-Subah, que foi o homem mais rico do mundo em épocas passadas, possa ter deixado algum legado aos mais esclarecidos de hoje.

Diante de tantas incertezas, os ímpetos de voltar para cama e dormir são muito grandes. Lá, no meu sonho, eu pensava ser proprietário de um carro de ouro. Pouco me importava se estava sendo rebocado… Compraria um novo só para não ter o trabalho de retirá-lo de algum depósito de veículos. Até já escolhi a marca e o modelo.

Em meu onirismo não pagava imposto… Nem precisava ser isento… Dinheiro era como petróleo. Fluía nos dedos de todos. E o salário… Ufa! Era só… Um sonho…

Google – Imagem

 Já que no Kuwait é petróleo… No Brasil vai o que?

O calhambeque escolhido para embalar os meus sonhos, também já foi definido…

Sem o menor problema com gastos de gasolina…

Mandei minha Ferrari…

Pro mecânico outro dia…

Pois há muito tempo um conserto ela pedia…

Como vou viver sem meu carango pra correr…

Minha Ferrari, bip, bip…

Quero consertar minha Ferrari…

Falando com Felino

Falando com Felino

Meu signo é Leão. Felino sim.

Sempre encontro por todas as partes de Israel um “irmãozinho” meu!

Eles também me procuram.

Eles são poliglotas!

Ele me perguntou: “Vamos dar um mergulho nesse lindo mar? ”

Respondi: Está muito frio. Prefiro ficar admirando a paisagem.

Indignado ele virou de lado e ficou olhando o lindo horizonte.

Mesmo dando-me as costas continuou falando: “Você é do Brasil né? ”

Respondi: Como você sabe?

De “bate pronto ele “miou”: “Você é um felino legítimo com sangue cigano! Não fica em lugares onde existe desequilíbrio. Seja bem-vindo e vou providenciar sua carteirinha da confraria dos felinos unidos. ”

Perguntei: Aqui os gatos pretos são de mau agouro?

Comentou: “A superstição teve origem na Idade Média, quando se acreditava que os felinos, devido a seus hábitos noturnos, tinham parte com o demônio.

E se o bichano era da cor negra, habitualmente associada às trevas, pior ainda para ele. ”

Continuou “miando”:

“ Nossos irmãozinhos são afrodescendentes”

Ainda me provocando para entrar no mar, “miou” rindo como se zombasse da minha alma felina:

“Você sabe que o gato “toma banho” com a língua, mas por que ele o faz dessa maneira talvez seja um mistério. O curioso é que em sua superfície, a língua felina possui cerdas que se transformam em uma espécie de escova natural. Portanto eu só iria acompanhar você até onde a água não chega”.

Enfim cheguei a uma conclusão e comuniquei ao meu felino amigo:

Acredito mais em que a capacidade de um gato, assim como os egípcios falavam, eles conseguem com maior facilidade ver os mortos, espíritos ou energias que nós!

Místico, adiciono o meu “olhar” em que a veneração dos egípcios pelos felinos era o fato de os gatos muitas vezes fixarem o olhar no “nada”!

O que significava que eles tinham uma “terceira visão”, enxergando o que os humanos não podiam enxergar. Como o Olho de Hórus, o olho que tudo vê!

Analisando o direcionamento dos olhares registrados no selfie da minha sobrinha neta e do seu lindo felino, fui buscar mais informações sobre o que seria uma Ilusão de Ótica além das questões relacionadas à arquitetura e às artes de modo geral.

Imediatamente veio à tona a anatomia!

No site “Pequenos Felinos – tudo sobre o seu gato”, encontrei uma análise interessante:

A visão é um dos sentidos mais importante para nós, assim também o é para os gatos.

Apesar de ter muitas características diferentes da visão do homem, é igualmente uma visão frontal, contrariamente aos coelhos que possuem uma visão lateral.

Os gatos têm uma visão de 200 graus, amplamente superior à do ser humano, e o seu eixo de visão é também bastante diferente do nosso.

Os pequenos felinos visualizam mais a parte inferior das coisas, os pés das cadeiras, das mesas e dos seres humanos.

Para eles tudo é gigante.

Este é um dos motivos porque os pequenos felinos adoram alturas e sobem em tudo para ficarem com uma perspectiva mais semelhante à do homem.

Os gatos não conseguem ver a menos de 20 cm de distância, por isso eles retiram a comida do prato e comem-na a certa distância.

Contrariamente ao ser humano, os pequenos felinos levam a boca a comida e não a comida a boca.

Na prática eles ajustam a comida a uma distância que consigam ver e depois a agarram às cegas, apenas guiados pelo olfato.

Felizmente o seu cérebro compensa esta falta de visão a curta distância com uma precisão milimétrica.

Ao contrário da visão do ser humano, a visão dos gatos funciona como uma lente de máquina fotográfica. Quando o objeto focado é pequeno, e está distante, a visão do gato consegue fazer zoom e aproximar o objeto dando-lhe definição.

Em termos de cores os pequenos felinos conseguem distinguir sem qualquer problema, mas o que lhes prende a atenção é o movimento. Se não tiver movimento certamente tentará que se mexa dando-lhe pequenos toques com as patas.

Conversa para gato dormir?

Miau! Miau! Amiguinho Felino!

A Rosa de Israel

A Rosa de Israel

O perfume é bem mais cheiroso que A Rosa de Hiroshima.

As lindas cores também.

Eu estava caminhando voltando de exames médicos cansativos e muito fraco com problemas de saúde.

Quando deparei com estas cores parece que minha ótica aliviou meu peso mental e físico.

Fotografei!

A rosa vermelha é símbolo místico em várias ordens arcanas do conhecimento. O período em que vivemos está repleto de energias cósmicas e transformações do homem com seu habitat. O meio ambiente vibra… o homem vibra…. Ora com harmonia…. Ora sem!

Quando o Universo conspira a nosso favor, temos a sensação de que vibramos no mesmo diapasão Cósmico.

Mesclada com amarelo e branco fica mais mística.

Essa botânica de Israel é surrealista.

A Rosa Vermelha é do Bem Querer… A Rosa Vermelha e Branca hei de amar até morrer!

O Amarelo é minha cor da alma!

Estava tudo ali naquele botão florido!

Rosas vermelhas são flores de grande simbologia.

Google- Imagem – Cigana

Sempre me senti com alguma hereditariedade cigana.

Nômade… Andante… Buscando sempre!

Não que a Rosa Preta seja feia!

Ela é linda também.

Porém, foi iconograficamente ligada à um mal na superfície da Terra.

Assim como foi a Cruz Suástica.

A suástica ou cruz suástica (ascii: ou ) é um símbolo místico encontrado em muitas culturas e religiões em tempos diferentes, dos índios Hopi aos Astecas, dos Celtas aos Budistas, dos Gregos aos Hindus, sendo encontrados registros de 5 mil anos atrás. Alguns autores acreditam que a suástica tem um valor especial por ser encontrada em muitas culturas sem contatos umas com as outras. Os símbolos a que chamamos suástica possuem detalhes gráficos bastante distintos. Vários desenhos de suásticas usam figuras com três linhas. A nazista tem os braços, apontando para o sentido horário, ou seja, indo para a direita e roda a figura de modo a um dos braços estará no topo. Outras chamadas suásticas não têm braços e consistem de cruzes com linhas curvas. Os símbolos Islâmicos e Malteses parecem mais hélices do que propriamente suásticas. A chamada suástica celta dificilmente se assemelha a uma. As suásticas Budistas e Hopi parecem reflexos no espelho do símbolo Nazista. Na China há um símbolo de orientação quádrupla, que segue os pontos cardeais; desde o ano 700 ela assume ali o significado de número dez mil. No Japão, a suástica ( manji) é usada para representar templos e santuários em mapas, bem como em outros países do extremo oriente.

Quando um símbolo do bem é usado no mal, perde a beleza da sua essência original.

O gato preto também é assim.

Eles são lindos!

Aqui em Israel eles estão todos os dias a me miar “bom dia”.

O vento está levando as pétalas para todos os lados.

Cigano já está acostumado com isso.

Hoje estou aqui… amanhã… em volta da fogueira! Danço…

Sem espinho!

Por Onde Começar

Por Onde Começar

O óbvio é que seja pelo começo. Sim. E daí?

Escrevia semanalmente na coluna da Iza Zilli onde tive a honra e o privilégio de ser convidado pela minha amiga Iza e seu fiel escudeiro Luigi (Juan Campesino). Ele é o responsável pela formatação e divulgação do referido blog.

Acontece que as postagens da minha escrita são feitas normalmente nos domingos.

Hoje é apenas terça-feira.

Quando isso ocorre, fico cá com meus botões a pensar: Será que até lá o tema não perde o trem do tempo?

Acordei, lavei o rosto, beijei minha mulher e fui para mesa de trabalho.

A imagem, eu registrei e fiz a capa desta lavra. Começava assim o dia.

Sempre tenho um ou mais livros nos espaços da minha casa por onde ando.

Até em frente à TV tenho livros.

Porém, o que me chamou a atenção hoje foi um folheto que guardo há mais de 20 anos.

Veio junto com uma das monografias da AMORC – Antiga e Mística Ordem Rosa Cruz, na qual sou membro desde 1969.

O folheto é sobre o Ciclo Diário do Horário Biorritmo.

Confesso que não leio todos os dias. Mas quando a cabeça fica muito cheia de questionamentos e a vida se apresenta com um ritmo mais acelerado, ou a expectativa de algum projeto está vibrando no tecido cerebral… Vou ler e consultar se o momento é ou não adequado para fazer isso ou aquilo.

Compartilho com meus queridos leitores essas “dicas”!

A ideia desse tema veio ao observar minha mesa de trabalho ás 9 horas desta terça-feira. Horário “S” do Ciclo Diário.

Aos turbilhões, jorram pensamentos de todas as ordens.

É a amostra grátis de 150 ml, O Desaparecimento de Deus de Richard Elliott Friedman, Uma Breve História do Mundo de Geoffrey Blayney, uma agenda e uma caneta!

A vida começa todos os dias!

 Érico Veríssimo

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia! E, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Teixeira de Andrade.

Enquanto escrevo estou recebendo uma gama enorme de mensagens e outros tipos de comunicações externas. Sons, e-mails, telefonemas, campainha e até trovoadas!

Recomeço esta escrita hoje, que já é quinta-feira. Observem que estou RECOMEÇANDO!

São 08h30min. A tabela do Ciclo Diário remete-me á letra “T”.

Realmente não estou apto para mover ações judiciais, solicitar favores nem tanto assim, lidar com armas e… Donativos nem pensar nessa penúria atual! Embora não seja hora de insetos, apareceu um alado estranho onde tive que usar a amostra grátis de 150 ml, retratada na capa desta lavra.

Aí, me lembrei dos comentários de alguns amigos, sobre a foto postada, em uma rede social.

Como é interessante a ótica de cada observador em seus determinados momentos.

Assim, quando nós apreciamos uma pintura mais de uma vez, vamos receber informações bastante variadas da mesma tela em tempos diferentes.

É a amostra grátis de 150 ml, O Desaparecimento de Deus de Richard Elliott Friedman, Uma Breve História do Mundo de Geoffrey Blayney, uma agenda e uma caneta! Vejam os pontos de vistas:

Kátia Regina Goebel Nichele: Comece agendando um momento com Ele!

Diloé Paulina Do Nascimento: Gostei do livro. É fácil achá-lo para compra? Não consigo seguir o horário do meu. Medite por uns minutos antes de iniciar seu trabalho!

Respondi: Respirei fundo e já comecei escrever a coluna da semana! Vai ser assim a capa!

Paulo Sergio Maioque: Pelo começo… Já dizia um poeta…

Respondi: Assim não vale Paulo Sergio Maioque! Já está cantando até o primeiro paragrafo do texto? Quero ver se vai adivinhar a música! Figuraça! Abraço.

Vinicius Alzamora: Que dúvida, pelo Grátis, é claro!

Antonio Carlos Coelho: Bem, comece pagando as contas.

Respondi: Pode me emprestar um troco aí Antonio Carlos Coelho?

Alexandra Contar: Começando.

Juliano Gusso Fagundes: Isso sim é um kit de sobrevivência… Destaque especial aos dois tubos de wd40, tinta em spray e mata inseto! KKKK

Respondi para Alexandra: Muitas vezes pode ser Recomeçando Alexandra Contar! Aliás, nada se começa na realidade. É vício de expressão da atemporalidade.

Respondi para o Juliano: KKKK Boa! Juliano Gusso Fagundes! “Sacou” o resto da empreitada! Artefatos para impermeabilizar os desenhos e aquarelas! Quem sabe… Sabe!

Pronto!

Vou ter que interromper novamente esta escrita, já começada e recomeçada!

Extração de dente e arrumar parte elétrica do carro! PQP! Ninguém merece! Dizem que “Há Malas Que Vêm de Trem” né?

Bota mala nesse trem doido sô! Como diria o mineirinho de Belzonte!

Pronto! 10h e 50min.

A letra referida ao período do Ciclo Diário é “S”, onde é desfavorável dar dinheiro emprestado.

Pensei: Quem me dera poder!

Resolvida à questão odontológica, a parte elétrica do veículo ficou marcada para as 15h00min, ou seja, letra “V”. Desfavorável para contratar empregados!

Ai, ai, ai! Será que marco outra hora para levar o carro ao conserto?

Vou arriscar?  E se tiver que remarcar, será melhor?

Enquanto pairava a dúvida, reparei que algumas plantinhas da minha casa estavam com folhas amareladas.

Como sempre faço, retirei-as e dei de “beber” as sobreviventes.

Passou um universo de pensamentos em minha cabeça.

Fiz uma analogia imediata entre folhas mortas e as pessoas que, por algum motivo, vivem e morrem na penúria.

Como a capa desse artigo foi o objeto do tema, resgatei na memória outras capas e outros seres carentes que não se sabe… Por Onde Começar.

É a amostra grátis de 150 ml, O Desaparecimento de Deus de Richard Elliott Friedman, Uma Breve História do Mundo de Geoffrey Blayney, uma agenda e uma caneta!

Quando postei a foto de capa de um artigo anterior com a frase, “Estendido em berço esplêndido!”, numa rede social, as reações foram de tristeza e pesar!

Artigo no link:

Berço Esplêndido marco alzamora

Quando o homem do “agasalho listrado” vai para as ruas, com seu chapéu “tapa orelhas” e seu tênis de “andarilho”, alguém pagou impostos ou tributos até pela sacola de plástico que carrega.

Artigo no link:

Dízimos da Ribalta marco alzamora

Quantas estradas precisará um homem andar…
Before you can call him a man? Antes que você possa chamá-lo de um homem?
How many seas must a white dove sail Quantos mares precisará uma pomba branca…
Before she can sleep in the sand? Antes que ela possa dormir na areia?
Yes and how many times must cannonballs fly Sim, e quantas vezes precisará balas de canhão voar…
Before they’re forever banned? Antes de serem, para sempre, abandonadas?

A resposta, meu amigo, está soprando no vento…
The answer is blowin’ in the windYes and how many years can a mountain exist Sim, e quantos anos pode existir uma montanha…

Before it’s washed to the seas (sea) Antes que ela seja lavada pelo mar?
Yes and how many years can some people exist Sim, e quantos anos podem algumas pessoas existir…

Before they’re allowed to be free? Até que sejam permitidas a serem livres?
Yes and how many times can a man turn his head Sim, e quantas vezes pode um homem virar sua cabeça…
Pretend that he just doesn’t see? Fingir que ele simplesmente não vê?

Blowin In the Wind

 Bob Dylan

Enfim, ficamos quase sabendo Por Onde Começar!

Tchau!

Presépios e Presídios

Presépios e Presídios

Aproxima-se a data comemorativa do Natal.

A origem dessa comemoração era a celebração do nascimento anual do Deus Sol no solstício de inverno (natalis invicti Solis), a festividade teve ressignificação pela Igreja Católica no século III para estimular a conversão dos povos pagãos sob o domínio do Império Romano onde então passou a comemorar o nascimento de Jesus de Nazaré.

Presépio, na língua portuguesa, designa o local onde se recolhe o gado, que também é denominado estábulo.

De acordo com várias fontes, Jesus nasceu numa manjedoura destinada a animais (no presépio, uma vaca e um burro) e foi reconhecido, no momento do nascimento, por pastores da região, avisados por um anjo, e, uns dois anos mais tarde, não na manjedoura, mas na casa de Jesus, recebeu visita dos reis magos vindos do oriente, guiados por uma estrela, que teriam oferecido ouro, incenso e mirra à criança.

Segundo a história, estes acontecimentos ocorreram no tempo do Rei Herodes, que teria mandado matar todas as crianças por medo de perder o seu trono para o titulado futuro rei dos judeus.

Acho que após uma grande “presepada”… Alguém resolveu criar os presídios! O termo “presepada” é tido como o ato da pessoa que se comporta de forma inadequada e exagerada. Seja fazendo burrada, estardalhaço, manézice, palhaçada e confusão, entre outras cagadas mais… Lá o Rei mandava matar criancinhas… Aqui no Brasil a “rainha” deixa roubarem a nação! Onde a corrupção e a impunidade campeiam às soltas, o “filósofo” Marcola já cantou em verso e prosa:

– Você é do PCC?

– Mais que isso, eu sou um sinal de novos tempos. Eu era pobre e invisível… Vocês nunca me olharam durante décadas… E antigamente era mole resolver o problema da miséria… O diagnóstico era óbvio: migração rural, desnível de renda, poucas favelas, ralas periferias… A solução que nunca vinha… Que fizeram? Nada. O governo federal alguma vez alocou uma verba para nós? Nós só aparecíamos nos desabamentos no morro ou nas músicas românticas sobre a “beleza dos morros ao amanhecer”, essas coisas… Agora, estamos ricos com a multinacional do pó. E vocês estão morrendo de medo… Nós somos o início tardio de vossa consciência social… Viu?

Sou culto… Leio Dante na prisão…

O país é hoje um grande presídio! Também… Com tantas “presepadas” até o clássico presépio está mais para estábulo!… (no presépio, uma vaca e um burro).

Tem até “Lobo Mau” apreciando a cena!

O Presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, disse que pode chegar a R$ 3 bilhões o superfaturamento em obras da Petrobrás investigadas por auditorias da Corte. Mais da metade desse valor se refere a irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, que segundo investigação do tribunal levou a um prejuízo estimado em US$ 792 milhões.

 “Já temos comprovado o superfaturamento na compra de Pasadena. E com os indícios de outras obras é que chega próximo de R$ 3 bilhões”, relatou Nardes após almoço com jornalistas na sede do TCU, em Brasília. Enquanto esse país continental perde a noção dos pilares que deveriam sustentar a Ordem e Progresso, os desmandos e as impunidades se multiplicam e os presídios não são “dignos” de tanta gente “boa”! Destaco os números assustadores da guerra que está sendo travada entre policiais e traficantes no Rio de Janeiro. No confronto que libertou o complexo do Alemão do controle do tráfico, policiais prenderam e mataram bandidos. Além disso, foram apreendidas toneladas de drogas, 50 fuzis e dezenas de motos. O objetivo dos policiais agora é retomar o controle das favelas Rocinha e Vidigal, que ainda estão em poder dos traficantes. O Brasil foi abandonado há décadas!

Aí nem Jesus liberta né?

No excelente texto de Sande Nascimento de Arruda na Revista Jurídica – A ineficiência, as mazelas e o descaso presentes nos presídios superlotados e esquecido pelo poder público lê-se:

A desestruturação do sistema prisional traz à baila o descrédito da prevenção e da reabilitação do condenado. Nesse sentido, a sociedade brasileira encontra-se em momento de extrema perplexidade em face do paradoxo que é o atual sistema carcerário brasileiro, pois de um lado temos o acentuado avanço da violência, o clamor pelo recrudescimento de pena e, do outro lado, a superpopulação prisional e as nefastas mazelas carcerárias.

O que presenciamos nestas plagas Brasílias é a discrepância com disritmia de uma síndrome apocalíptica!  Os “ladrões” da Petrobrás irão para o presídio da Papuda?

Lá serão presos traficantes e assassinos também? Haverá um presépio para a comemoração do Natal? Diante do caos dos presídios e da incapacidade do Estado em investir na área, seja por falta de verbas ou, como em vários casos, por conta da ineficiência na gestão do gasto público, os modelos de administração privada dos estabelecimentos são pensados como boa alternativa, mas a iniciativa é criticada por muitos especialistas. Imagino como seriam feitas as licitações para construção e administração desses “equipamentos” sociais.

Empreiteiras iriam fazer as devidas “coberturas” de preços para realizarem o “rachide” a posteriori? Henrique Pizzolato seria bem servido em presídio de cinco estrelas?

Henrique Pizzolato é um executivo e sindicalista brasileiro filiado ao Partido dos Trabalhadores, ex-diretor do Banco do Brasil, ex-presidente do Sindicato dos Bancários em Toledo e da CUT-Central Única dos Trabalhadores.

O Planalto ofereceu ao deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) uma vice-presidência do Banco do Brasil.

“Jingle Bells”! E o Brasil continua… Sem

 Presépios e Presídios!

Haja bumbum!

PROCISSÃO

Procissão… Jornada… Marcha… Romaria… Revoada de Pássaros e de Almas!

E assim caminha a Humanidade! Ora correndo e outras vezes apenas andando. Quando bem ordenada… Marchando! Quando cansada… Se arrastando!

Parece que o mundo inteiro está indo às ruas para demonstrar algum desiderato com fins materiais, espirituais ou outros cuja real identificação pode ser um produto dos novos tempos. A vinda do Pontífice da Igreja Católica ao Brasil enseja uma jornada. Jornada Mundial da Juventude é um evento religioso criado pelo Papa João Paulo II em 1984, que consiste na reunião de milhões de pessoas católicas, sobretudo jovens. O evento é celebrado a cada dois ou três anos, numa cidade escolhida para celebrar a grande jornada em que participam pessoas do mundo inteiro. Independente de credo ou religião, jornadas pacíficas são sempre bem vindas. Quando se vive em clima de tormentas, como presenciamos aqui no Brasil e em vários lugares do Planeta Terra, iniciativas em prol da paz somam positivamente para o restabelecimento da harmonia e do equilíbrio necessários para a continuidade da evolução saudável. Como numa revoada de pássaros, as almas do bem e do mal se alvoroçam, se espalham, aladas ou não, para todos os lados.

Algumas “almas penadas”…

Alguns pássaros do bem… Levando algumas autoridades do mal? Relativo aos fatos recentes de usos indevidos.

A cidade do Rio de Janeiro deverá abrigar manifestações de várias jornadas, em PROCISSÃO… Na terra… No ar… No mar! Quem sabe… No Céu? Já que o representante da divindade maior estará ali peregrinando! Os jornais noticiam que o Papa concederá indulgência até pelo Twitter. Então não seria preciso ir à PROCISSÃO?

Edison Veiga – O Estado de São Paulo

O decreto papal que cria regras para a indulgência (remissão da pena temporal, por causa de um pecado já perdoado) dos fiéis que participarem – física ou espiritualmente – da Jornada Mundial traz uma surpresa: também conseguirão absolvição aqueles que acompanharem o evento por meio do Twitter. “Mas é preciso cuidado”, recomenda o arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Pontifício Conselho de Comunicação Social. “A indulgência não poderá ser obtida com a mesma facilidade com que se obtém um café da máquina”, como afirmou ao jornal italiano Corriere Della Sera.

Na doutrina católica Indulgência (do latim indulgentia, que provém de indulgeo, “para ser gentil”) é o perdão fora dos sacramentos, total ou parcial, “da pena temporal devida, para a justiça de Deus, pelos pecados que foram perdoados,”, ou seja, do mal causado como consequência do pecado já perdoado.

Procissão (provém de procedere, “para ir adiante”, “avançar”, “caminhar”) é um corpo organizado de pessoas caminhando de uma maneira formal ou cerimonial. Muitas vezes acontece sob a forma de um cortejo religioso realizado em marcha solene normalmente pelas ruas de uma cidade, carregando imagens e entoando orações ou cânticos. Este ritual segundo a crença tornaria as pessoas e os locais, abençoados. Dessa última forma é praticado em várias religiões cristãs, tais como o catolicismo, a ortodoxia, e algumas igrejas reformadas. Wikipédia.

Uma PROCISSÃO de recepção ao Papa aqui em nosso país poderia contar com a presença da mandatária maior da República Federativa do Brasil cumprindo uma semelhança como à praticada na República Romana. Semelhante à procissão grega, indo ao encontro nas práticas da assembleia geral, recepção de estrangeiros e cessação das hostilidades. Evidenciando que o Brasil foi fundado, não por bárbaros, mas por pacíficos.

A verdade é que quando a massa popular se mobiliza e vai para as ruas, é porque está pedindo alguma coisa!

PROCISSÃO com focos diferenciados…

Se arrastando… Que nem cobra… Pelo chão…

O Brasil é mesmo um país de contrastes extremos.

Ah! Se meu “fusca” falasse…

Segundo os dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) os Estados do Nordeste, Sudeste e Sul concentram quase 90% da população do País, em cerca de 30% do território nacional, enquanto os Estados das Regiões Norte e Centro-Oeste concentram 10% da população, em cerca de 80% do território. Nesta heterogeneidade, a desigualdade social é o sinal mais evidente.

Procissão… Jornada… Marcha… Romaria… Revoada de Pássaros e de Almas!

Mesmo em Curitiba, capital do Estado do Paraná, tida como a Suíça brasileira, é notável o descuido em um lado desprivilegiado da população.

Já pensaram porque o Papa não vai ao nordeste do Brasil? Falta de segurança? E imaginar que lá as procissões são tão fervorosas, em seus pleitos, quanto às do Sul deste país continental! Deus é brasileiro só quando a Seleção de Futebol ganha? Agora que o representante maior da divindade aqui na Terra é argentino… Não vai dar para usar a expressão em uma partida final da Copa do Mundo com a Argentina!

No Leblon e Ipanema a “temperatura” aumentou tanto que a “Garota de Ipanema” seria “tostada” mesmo usando creme protetor fator 2014! Até o prédio da maior rede de televisão do país sofreu com o calor que não era do sol ardente de Copacabana!

PROCISSÃO DO PODER POPULAR.

Olha lá

Vai passando

A procissão

Se arrastando

Que nem cobra

Pelo chão

As pessoas

Que nela vão passando

Acreditam nas coisas

Lá do céu…

Quem diria? Em Goiás tem PROCISSÃO do Fogaréu!

O ritual resgata tradições do século 18 e representa a perseguição dos soldados romanos a Jesus na antiga Jerusalém. A tradição no município de Goiás Velho tem cerca de 140 anos. Parece sinistro comparando com aqueles malucos da Klux Klan… Terror!

Ku Klux Klan (também conhecida como KKK) é o nome de várias organizações racistas dos Estados Unidos que apoiam a supremacia branca e o protestantismo (padrão conhecido também como WASP) em detrimento de outras religiões. A KKK, em seu período mais forte, estava localizada principalmente na região sul dos Estados Unidos, em estados como Texas e Mississípi. WASP é o acrônimo que em inglês significa “Branco, Anglo-Saxão e Protestante” (White, Anglo-Saxon and Protestant).

O ritual de queima da cruz foi o primeiro a ser realizado em público em 50 anos. Foto: Reuters

A cerimônia aconteceu em frente à Augusta State University. Duwayne Johnson foi iniciado como Bruxo Imperial de Todos os Cavaleiros Americanos Invisíveis.

Procissão… Jornada… Marcha… Romaria… Revoada de Pássaros e de Almas!

Os mascarados invadem o Rio de Janeiro!

O fogo diabólico de discípulos do Ku Klux Klan… PROCISSÃO de sinistros maculando a imagem nacional.

Há quem prefira ver os manifestantes sem mascaras!

Se durar até 2014… Adeus Copa do Mundo nas plagas da Pátria Amada!

PROCISSÃO DAS BOLAS ENTERRADAS NAS AREIAS!

A Espera

A Espera

Desde e começo era assim!

Nasce o primeiro casal no Jardim do Éden, onde é narrada a forma como Deus cria Adão e Eva, planta um jardim no Éden (a oriente), e indica ao homem que havia criado, para cultivá-lo e guardar.

A ordenança dada por Deus seria a de que o Homem podia comer os frutos de todas as árvores do bem, existentes no jardim, exceto os da árvore do conhecimento do que é o bem e do que é o mal.

Ao desobedecer esta ordenança e comer esse fruto proibido, Adão e Eva ficam conhecendo o bem e o mal, e do pecado nasceu à vergonha e o reconhecimento de estarem nus.

Em resultado da desobediência, Deus expulsa o homem do jardim.

A árvore do conhecimento tinha um fruto que, segundo Eva, manipulada pela serpente (supostamente simbolizando satanás) devia ser bom para comer, pois era de atraente aspecto e precioso para a inteligência. Contudo, apesar de atraente, ou talvez por isso, era o fruto proibido original. Será que Adão também comeu a maçã?

Como a cronologia nos tempos bíblicos é bem diferente da que conhecemos não se sabe quanto tempo foi A Espera do nascimento dos filhos Caim e Abel. Nunca soube da Eva grávida e barrigudinha!

Antes dos seus 130 anos de existência, Adão e Eva tiveram dois filhos homens – Caim e Abel.

Aos 130 anos, Adão e Eva geraram Sete. Adão viveu 800 anos depois que Sete nasceu e teve filhos e filhas (Gênesis 5:4). Quantos?

Ninguém sabe.

Muitos.

Adão viveu quase um milênio: 930 anos.

Não vamos entrar nas polêmicas questões religiosas e de costumes.

Esperamos em média nove meses para nascer.

A vida é uma espera constante.

Gosto sempre de citar a origem do nascimento dos temas escolhidos para minhas escritas.

Não me importam se elas sejam pessoais ou de intimidade, minha vida é um livro aberto!

 Quem quiser fazer parte está, desde já, autorizado.

Comentando sobre as questões de divulgação e tempo de espera com meu amigo e produtor do blog sobre a última publicação “Universos Paralelos” surgiu uma prosa paralela.

Ao enviar o texto para transformação em e-book, eu escrevi:

Eu: Provocou outra vez!

Vai que é sua! Luigi!

Pode publicar já… Se for “macho”!

Hehehe! Rsrsrs! Kkkkk!

Seus netos vão saber disso!

Delação Premiada!

Luigi (Juan Campesino): O que falar?

Brilhante como sempre. Vou publicar amanhã, pois estou sem matéria, tudo bem?

Além do texto excelente a capa é maravilhosa, uma das mais bonitas.

Abraços. Luigi

P.S.: O som precede o pensamento… He! He! He! Matou a charada!

Eu: Ufa! Ainda bem que você está sem matéria!

 Que sorte a minha né?

Teimosão!

Luigi (Juan Campesino): Marco.

Foi muito boa essa conversa.

Imagine quando eu puder tomar “Umas”.

Você está em vantagem, pois já tomou algumas.

Tudo bem, eu espero.

Se você quiser posso publicar hoje…

Eu: Kkkk! Não vejo a hora de a gente tomar várias juntos!

Vai dar B.O.!

Não precisa publicar hoje!

O nosso “bate bola” já é o lucro maior dessa empreitada!

Realmente tomei um Jack Daniel’s depois das cervejinhas do Barigui! Tava bão!

Segunda feira eu vou extrair um dente e fico uns dois dias sem beber nada! Vai ser difícil! Mas vou suportar! Valeu grande Luigi!

Luigi (Juan Campesino): Fique frio…

Como a cronologia nos tempos bíblicos é bem diferente da que conhecemos não se sabe quanto tempo foi A Espera do nascimento dos filhos Caim e Abel. Nunca soube da Eva grávida e barrigudinha!

Antes dos seus 130 anos de existência, Adão e Eva tiveram dois filhos homens – Caim e Abel.

Aos 130 anos, Adão e Eva geraram Sete. Adão viveu 800 anos depois que Sete nasceu e teve filhos e filhas (Gênesis 5:4). Quantos?

Ninguém sabe.

Muitos.

Adão viveu quase um milênio: 930 anos.

Não vamos entrar nas polêmicas questões religiosas e de costumes.

Esperamos em média nove meses para nascer.

A vida é uma espera constante.

Gosto sempre de citar a origem do nascimento dos temas escolhidos para minhas escritas.

Não me importam se elas sejam pessoais ou de intimidade, minha vida é um livro aberto!

 Quem quiser fazer parte está, desde já, autorizado.

Comentando sobre as questões de divulgação e tempo de espera com meu amigo e produtor do blog sobre a última publicação “Universos Paralelos” surgiu uma prosa paralela.

Ao enviar o texto para transformação em e-book, eu escrevi:

Eu: Provocou outra vez!

Vai que é sua! Luigi!

Pode publicar já… Se for “macho”!

Hehehe! Rsrsrs! Kkkkk!

Seus netos vão saber disso!

Delação Premiada!

Luigi (Juan Campesino): O que falar?

Brilhante como sempre. Vou publicar amanhã, pois estou sem matéria, tudo bem?

Além do texto excelente a capa é maravilhosa, uma das mais bonitas.

Abraços. Luigi

P.S.: O som precede o pensamento… He! He! He! Matou a charada!

Eu: Ufa! Ainda bem que você está sem matéria!

 Que sorte a minha né?

Teimosão!

Luigi (Juan Campesino):

Marco.

Foi muito boa essa conversa.

Imagine quando eu puder tomar “Umas”.

Você está em vantagem, pois já tomou algumas.

Tudo bem, eu espero.

Se você quiser posso publicar hoje…

Eu: Kkkk! Não vejo a hora de a gente tomar várias juntos!

Vai dar B.O.!

Não precisa publicar hoje!

O nosso “bate bola” já é o lucro maior dessa empreitada!

Realmente tomei um Jack Daniel’s depois das cervejinhas do Barigui! Tava bão!

Segunda feira eu vou extrair um dente e fico uns dois dias sem beber nada! Vai ser difícil! Mas vou suportar! Valeu grande Luigi!

Luigi (Juan Campesino):

Fique frio…

Vamos “bebemorar” juntos. Como você já tomou mais uma dose do velho Jack eu resolvi fazer a revista.

P.S.: Gostei do fundo. Desculpe a TEIMOSIA, mas mudei o filme final.

     Como a obra é sua, posso trocar pelo original, mas te dou a chance de entender o que eu disse ouvindo o “Som” He! He! He!

Eu: Ops! Consegui abrir! Ficou show! Esquece os e-mails anteriores! Abraço.

Luigi (Juan Campesino): Bom dia Marco Daniel’s! Por favor, não se melindre! Eu posso trocar o fundo e a música numa boa. Você é quem manda. Eu é que sou abelhudo… Falta de “White Horse”.

Eu: Claro que não precisa trocar! Ficou show! Trabalho em equipe de primeira linha! Tudo a ver “Alma”! Vou detonar!

Como eu não tinha visto… Sugeri coisas.

Mas está muito bom!

Amanhã arranco um dente.

Só vou poder beber depois de amanhã! Foda! Hehehehe!

Vai pensando aí num novo tema caro sócio!

A Iza tá bem? Beijo nela.

Luigi (Juan Campesino):

A Iza está bem.

Vou transmitir seu recado.

Vai firme arrancar o dente…

Depois melhora.

Eu nem posso fazer nada nos dentes, o dentista descobriu que tenho sinusite.

Então, estou há 12 dias no antibiótico.

Dois dias passam rápido…

Não tem um ansiolítico para segurar a fissura?

Você sempre dá os temas, no caso “A Espera” de um dia melhor.

Sempre estamos à espera de algo.

Será isso um motivo de angústia ou de prazer.

A espera da festa é sempre melhor que a própria festa.

Assim por diante…

É um tema!

Melhoras!

E para encerrar o papo com o tema justificado…

Eu: Obrigado Luigi,

Alles zu seiner Zeit – Tudo ao seu tempo!

A língua alemã é uma das que melhor expressam o pensamento. A filosofia desde os tempos mais remotos.

Como sempre, você percebendo os sentimentos.

Amanhã te digo como foi à maratona dentária!

Vai dar tudo certo sim.

Abraço irmão.

Marco.

A Espera da cirurgia foi mais para angústia. Mas após ter vencido o desafio e tudo ter corrido bem “A espera da festa é sempre melhor que a própria festa”.

Passados os efeitos dos remédios voltei ao tema intrinsecamente. Assistindo e escutando os noticiários percebi uma quantidade grande de repetições da palavra “esperar”.

Os governos instalados fizeram isso e aquilo, mas o usuário, contribuinte, o povo…

Quem sabe oriundos das cepas “Adão e Eva” vão ter que esperar…

Esperar! Sem espernear… É claro! Ou não?

A Espera por uma consulta com um médico especialista de um plano de saúde não pode levar mais de 14 dias, segundo uma resolução editada em 2011 pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, do governo federal. Mas a própria União não estabelece limites para o paciente da rede pública. No Paraná, uma consulta com um médico especialista pode demorar até três anos.

A Espera na fila de transplante no Brasil tem 60 mil pessoas. Burocracia e notificação de mortes encefálicas elevam mais o tempo de espera na fila de transplante.

A Espera de crianças na fila por vagas em creches!

A Espera em resolver transtornos como na cidade famosa por ter sido modelo de transporte coletivo. Greve no transporte causa transtorno em Curitiba e região.  Nenhum dos 1.945 veículos que compõem a Rede Integrada de Transporte (RIT) deixou as garagens das empresas, afetando 356 linhas de ônibus. Muitos trabalhadores tiveram que faltar ao trabalho porque não conseguiram chegar a tempo, e outras pessoas que tinham exames em hospitais, por exemplo, terão que remarcar suas consultas. Sem a circulação dos ônibus, milhares de carros voltaram às ruas, causando congestionamento principalmente na região central da capital. Rubens Chueire Jr. – Equipe Folha – 26/01/2015

A Espera nessa fila não é auspiciosa:

Em momentos em que a densidade populacional aumenta consideravelmente, a quantidade de recursos disponíveis rapidamente é consumida, pelo que situações de crise alimentar ganham destaque. Situações estas, já experimentadas pela humanidade.

A Espera nessa fila também não foi agradável:

Imagem de vídeo divulgado pelo Boko Haram mostra meninas com vestes islâmicas rezando ao ar livre. Jovens seriam as sequestradas em abril de 2014 em Chibok, na Nigéria (Foto: Boko Haram/AFP).

A Espera nessa fila também não foi agradável:

Holocausto Memorial Esculture

Poklonnaya Gora, Moscou, Rússia.

Embora os termos “Shoah” e “Solução Final” sempre se refiram ao destino dos judeus durante o regime nazista, o termo “Holocausto” é usado às vezes em um sentido mais amplo para descrever outros genocídios dos nazistas e de alguns regimes insanos.

Acho melhor voltar ao Jardim do Éden, com A Espera, escutando Louis Armstrong em canção escrita por Bob Thiele e George David Weiss:

Eu vejo as árvores verdes, rosas vermelhas também.

Eu as vejo florescer para mim e você.

E eu penso comigo… Que mundo maravilhoso.

Eu vejo os céus tão azuis e as nuvens tão brancas.

O brilho abençoado do dia, e a escuridão sagrada da noite.

As cores do arco-íris, tão bonitas no céu.

Estão também nos rostos das pessoas que se vão.

Vejo amigos apertando as mãos, dizendo: “como você vai?”.

Eu ouço bebês chorando, eu os vejo crescer.

E eu penso comigo… Que mundo maravilhoso!

A Esperança Existe!

Tchau!

POLÍTICA GASTRONÔMICA MORNA

Do anarquista russo do século 19, Mikhail Bakunin
 (1814-1876):

Assim, sob qualquer ângulo que se esteja situado
para considerar esta
questão, chega-se ao mesmo resultado execrável:

 O
governo da imensa maioria
das massas populares se faz por uma minoria
privilegiada.

 Esta minoria,
porém, dizem os marxistas, compor-se-á de
operários.

 Sim, com certeza, de
antigos operários, mas que, tão logo se tornem
governantes ou
representantes do povo, cessarão de ser operários e
pôr-se-ão a observar o
mundo proletário de cima do Estado; não mais
representarão o povo, mas a si
mesmos e suas pretensões de governá-lo.

Quem duvida disso não conhece a natureza humana”.

Chico Anysio

A Corruptocracia de Justo Veríssimo.

“Eu quero é que pobre se exploda”, era o bordão que ele soltava logo após ouvir queixas de cidadãos menos favorecidos.

Na sua crueza anárquica, o humor oferece a mais devastadora crítica da realidade. Anarquista Russo e anarquista tupiniquim!

Ok.

Vamos ao gastronômico.

 A paisagem da cidade muda em época de eleição.

Têm placas em todas as “calçadas”, parques e jardins, nos largos de grama castigada e em todo centímetro quadrado da urbe em festa!

Parece anúncio de restaurante a quilo anunciando o cardápio do dia.

Jonatas do Suco, Zé Banana, Fei Joada, Honório do Açougue, Tadeu da Linguiça, Alfacinha da Bata clã, meu amigo Batatinha, Juarez da Cachaça Lerda, Vote Certo no Bode Experto, Rosinha do Chá Gelado… E depois de tantas calorias alimentícias e bebidas ácidas, tem o Elias da Farmácia e Estraga Onofre do Supositório.

Com tudo isso, ainda tem gente dizendo que a campanha política aqui está morna.

Kkk…

Lembrei-me da minha sogra na Boca Maldita em tempos idos,  falando com estátuas e abanando bandeiras.

Com tudo isso, ainda tem gente dizendo que a campanha política aqui está morna.

Conta-se na família, que a manceba jogou um prato de sopa na primogênita!

Alguém exclamando perguntou:

“Como você teve coragem de fazer uma coisa dessas? ”

A resposta veio imediata:

“Mas estava morna! ”

Em política, mesmo morna, sempre tem cacetada!

Ou… Pratada!

Pensando bem, está morna mesmo.

Ainda não começaram os jingles em caminhões falantes com decibéis estoura timpânico, nem reco-recos dos cabos eleitorais pagos ou voluntários.

Enquanto isso no Planalto Central da República montou-se um palco para a prática laboratorial de advogados exibidos ensaiando a teatral arte de representar os seus clientes “honestos”, anjinhos de todos os Valériosdutos!

Presidente do STF inicia a fase destinada aos votos dos ministros. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF (15/08/2012)

O Professor René Dotti deve estar observando os atores da arte em qual ele é Grande Mestre.

René Ariel Dotti

Um dos maiores penalistas do país. 

A GASTRONOMIA CONTINUA.

Comícios regados a ki sucos e pães enrugados com linguiças de trésontonte.

Problemas gástricos?

Daí é só procurar o Elias da Farmácia e o Estraga Onofre do Supositório.

Haja estomago para politicar!

“Vamu que Vamu”! Caro amigo Juan Campesino.

Já pensou em se candidatar?

No interior, onde os debates eram em palanques montados na praça principal da cidade, sem a tecnologia televisiva, dois candidatos disputando a prefeitura, assistiu-se o bate-boca:

O primeiro falou:

“Vossa Excelência é um DESCALCIFICADO! ”

O segundo respondeu de ‘bate-pronto’:

“Vossa Excelência é um analfabeto”! Pois deve estar querendo dizer: “DESCLASSIFICADO”!

O primeiro retrucou:

“Não”! É DESCALCIFICADO MESMO! Porque sua mulher lhe bota corno há mais de dois anos e o chifre ainda não nasceu! Deve ser falta de cálcio…

Como diria o baiano: “Tá rebocado e piripicado”!

O outro baiano contaria que:

* “Me retei e piquei a porra”.

* fiquei nervoso e dei um tiro nele!

Aqui no sul não tem mais o coronelato da época do Guataçara Borba Carneiro.

Guataçara Borba Carneiro (Reserva, Paraná, 24 de maio de 1899 – Curitiba, 17 de junho de 1979) foi um político brasileiro.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Meu pai foi Juiz de direito em Reserva.

Era um revolver em cada lado da cintura.

Política de outros tempos.

Reserva-Paraná

Guataçara Borba Carneiro

Guataçara Borba Carneiro, descendente do célebre sertanista Telêmaco Borba, nasceu em Reserva, Paraná em 24 de maio de 1899.

Foi prefeito de Tibagi, deputado estadual por várias legislaturas e presidente da Assembleia Legislativa. Ocupou a chefia do Poder Executivo por duas vezes nas ausências do governador Moysés Lupion, em 1949 e 1959.

Exerceu ainda os cargos de promotor público interino e de delegado regional de Tibagi.

Eleito deputado estadual, pela primeira vez, em 1947. 

Líder da maioria no ano seguinte e reeleito em 1950.

Nas eleições governamentais de 1960, integrou dissidência do Partido Social Democrático. 

 Depois de algum tempo no ostracismo, reapareceu na cena política como presidente do Partido Democrático Social.

 Exerceu muita influência na política do seu tempo pelo poder de liderança e de coordenação política, notadamente quando o Secretário dos Negócios do Interior e Justiça.

 “Amigo dos livros, supriu com leitura de bons autores a falta de curso superior”, autodidata de reconhecido valor intelectual.

Quando eu passava em frente á casa dele perto do Colégio Estadual do Paraná para praticar salto na plataforma da piscina, lá estava o Guataçara com seu chapelão, sentado na varanda.

 Era vizinho do Colégio.

Bento Munhoz da Rocha Netto e Moisés Wille Lupion de Tróia. 

Minha homenagem aos bons políticos do Paraná. 

Tanto em épocas MORNAS E GASTRONÔMICAS quanto em épocas FRIAS E SUBNUTRIDAS!

Boa Eleição…

Israel Cosmos

Israel Cosmos

Cheguei em Israel no dia 18 de julho de 2017!

Número significativo na Kabbalah (também Cabala, Qabbala, cabbala, cabbalah, kabala, kabalah, kabbala) – é um sistema religioso-filosófico que investiga a natureza divina. Kabbalah é uma palavra de origem hebraica que significa recepção. É a vertente mística do judaísmo.

Cosmos é o espaço universal, composto de matéria e energia e ordenado segundo suas próprias leis; Universo. Na filosofia grega, a harmonia universal; o Universo ordenado em leis e regularidades, organizado de maneira regular e integrada.

Aqui em Israel a matéria do Universo é eletrizada. Parece que está tudo magnetizado!

Quando vou trocar o saco de lixo, feito de plástico, ele cola em minha pele.

A cortina do box no banheiro, feita de material sintético, cola em meu corpo!

Até a constante aceleração da gravidade de 9,8 m/s² parece ser diferente.

Isso tudo sem contar com a salinidade do Mar Morto rompendo a gravidade.

Nem elefante afunda.

Tudo parece que pertence a um microcosmo diferente.

Os sons e barulhos são amplificados, reverberados e estereofônicos!

Criança quando chora não chora! Grita como se fosse de pavor! Como se estivessem sendo esganadas.

Se os carros não tivessem buzinas aqui em Israel, nenhum motorista saía de casa.

Nos vários encontros com amigos curitibanos me deparei conversando com Léo Kriger.

Após ter feito várias observações sobre as energias desta Terra Santa, concordamos que aqui existe um microcosmo diferenciado do resto do Universo.

Eu e o Léo.

Muitas vezes aproximo as mãos perto da cabeça e os cabelos se arrepiam como se fossem eletrizados. Como um imã.

Alguém comentou que eu só iria me adaptar aqui somente após dois anos!

Um já foi!

Voltando a questão dos cabelos imantados, logo que chegamos em Israel deparamos com uma cena que comprova a veracidade da minha afirmação.

Na Praça Rabin em frente da Prefeitura de Tel Aviv, o magnético microcosmo é visto na loira atrás da minha mulher.

Outro comentário engraçado foi o da querida amiga Tânia Gisele Slud:

“Qualquer dia o Marco vai dizer – Onde eu fui amarrar o meu bode”?

Aí fui procurar lembrar dos lugares desse mundão sem porteira por onde passei.

Lembrei-me das Minas Gerais onde vivi muitos anos da minha vida.

Me perguntei então no famoso sotaque mineiro!

“Doncovim?…Oncotô?…Proncovô?

Em seguida fui até a praia aqui em Rishon LeZion onde vivo.

Ali no pôr do sol a resposta veio rápida!

Fotografei!

Era o “I” de Israel cujo pingo do “I” estava quase chegando na linha do horizonte!

Até nisso o microcosmo se encontra com o macrocosmo!

Pensei:

Que doideira é essa?

Esse mundo de magia faz uma vitamina do meu hipotálamo com minha pineal e a tireoide bem batidas num liquidificador.

O momento onde esses diálogos foram registrados, em foto, era o Sarona Market em Tel Aviv.

Eu estava entre o Léo e a Tânia.

Após o almoço saímos para dar uma caminhada nos jardins do Sarona!

Aí constatamos que o “arranha céu” estava cutucando o macrocosmo!

Em Israel existem prédios com mais de 100 andares.

A arquitetura é monumental!

O som, a luz, a cor, o ar, a temperatura e… O pensamento do momento é que tornam um ambiente mágico! Tudo é somado às viagens das nossas fantasias, onde o ato de pensar enleva o ato de sentir! Quando na tenra infância ouvíamos as historinhas infantis e nos transportávamos á mundos mais distantes e fantásticos do que as agruras do dia a dia real, assim também, na idade adulta alçamos voar a um mundo lindo da imaginação.

“Ó Poderosa Força Vital do Universo… Alcançai o Espírito que está dentro da minha Alma e renovai a Vida que está dentro do meu Corpo”!

Como todo “sabra” enfio o dedo no nariz quando  paro nos sinaleiros.

E  continuo cantando e buzinando: