O Mundo em sua Mão

O Mundo em sua Mão

Qual Mundo? São tantos!

 Seria a totalidade dos astros e planetas?

 Firmamento?

 Universo?

Quantas interrogações são necessárias para saber o tamanho que a expressão açambarca?

“Êta mundo véio sem porteira”!

Fazendo isso ou aquilo você pode mudar o mundo!

Assim o mundo pode estar sob seu controle!

Quando mergulhamos no mais profundo âmago do nosso ser, a alma, somos invadidos por aquilo que já “bradou” William Shakespeare na frase “Ser ou não ser, eis a questão” da peça “A tragédia de Hamlet”, príncipe da Dinamarca.

Será que um príncipe pode ter mais O Mundo em sua Mão que um simples plebeu?

Que busca é essa?

Vamos chamar Platão falando de Sócrates:

“Só sei que nada sei”

De acordo com Platão, Sócrates e Aristóteles, os sofistas eram mercenários e falsos filósofos.

 Eles utilizavam da retórica e persuasão com o intuito de atrair os interessados no conhecimento.

Platão dedica um de seus “Diálogos” à Górgias, criticando o estilo, a persuasão e os paradoxos utilizados pelo filósofo.

Os pensamentos de Górgias estiveram centrados nos temas do subjetivismo, do relativismo, do asceticismo e do ceticismo absoluto.

Assim, ele se demostrou cético em relação à ciência e à razão. Em relação ao relativismo subjetivo aplicado à sua filosofia, Górgias afirmou:

 “O que parece a mim é para mim, e o que parece a ti é para ti”.

Defendeu pontos de vista paradoxais e por vezes, absurdos.

 Assim, foi considerado um niilista.

Seu niilismo pode ser revelado pela afirmação realizada numa de suas obras mais relevantes intitulada “Sobre o não ser”:

O ser não existe; se existisse, não poderia ser reconhecido; mesmo que fosse conhecido, não poderia ser comunicado a ninguém”.

 Górgias acreditava que não existia uma verdade absoluta, chegando a conclusão sobre a ilusão gerada pelos sentidos.

Assim fui caminhando sem parar por esse mundão.

Comecei a reparar por onde o Astro Rei aparecia iluminando a crosta terrestre e a retina dos meus olhos.

Lindas imagens! Mas não é fácil enxergar quando os olhos estão machucados de alguma forma.

Vamos começar com a Grécia em horário sublime.

Em sequência atemporal encontrei-me em Israel.

Entre os vários poentes vislumbrei a excelência do Criador!

No mar Mediterrâneo em Rishon LeZion.

Quando em certo entardecer, 18/03/2018, exatamente 18 horas, número místico no judaísmo, fotografei um “Céu em chamas”:

As fotos são minhas. Embora meu olho direito esteja embaçado.

Mas vamos em frente.

A vida começa todos os dias!

 Érico Veríssimo

Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.

É o tempo da travessia!

 E, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos.

Fernando Teixeira de Andrade.

Enquanto escrevo estou recebendo uma gama enorme de mensagens e outros tipos de comunicações externas.

 Sons, e-mails, telefonemas, campainha e até trovoadas!

Para encurtar essa conversa, em mais um poente do Sol em Israel, concluo que O Mundo em sua Mão acontece quando você encontra o Grande Amor!

O Meu Mundo em Meus Braços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *