Aprendeu-se a liberdade…

A Liberdade aprende-se todos os dias!

“Deixa estar jacaré… A lagoa há de secar… Os peixinhos… Hão de morrer… E você… Há de ficar”!

Dito popular cantado em verso e prosa para manifestar um temporário estado de espera e acomodação perante um desagravo que alguém nos impeliu. “O mundo dá voltas”! “Amanhã é outro dia”! E assim por diante…

Estamos sendo “metralhados” com rajadas de todos os lados. Em todas as mídias percebe-se a mesma ansiedade e angústia, tanto nos conteúdos como na forma com que nos chegam tais informações. O repórter se exalta. Os entrevistados bradam forte pensando em fazer ecos mais distantes com decibéis alterados. Há quem diga que o mês de junho será um marco histórico, já conquistado no espaço e no tempo, para a posteridade. Vamos contar isso para as futuras gerações como o despertar desse gigante adormecido que é o Brasil continental. Com limites marítimos pelo Oceano Atlântico, só se ouve a palavra Pacífico! Sim, existe balbúrdia de vândalos em todas as manifestações pacíficas. São produtos de nossas próprias alienações. Os Poderes constituídos estão em polvorosa.

O povo está inflamado. A luta não é com flechas e tacapes! São apenas brasileiros irmanados.

Recebi uma boa em meu e-mail: “Ando tão preocupado com as manifestações que hoje espirraram dentro do ônibus e uma mulher falou ‘saúde’, eu gritei ‘e educação’. Todos levantaram e começaram a cantar o Hino Nacional”.

Quando contei a piadinha para minha mulher, ela começou a cantar: “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor…”.

Acho que o civismo só aparece em fechamento de espírito de corpo. Não confundir com “espírito de porco” dos anarquistas do vandalismo.

A história do Brasil é repleta de exemplos que sinalizam as atitudes da nossa massa popular. Massa muitas vezes cega, obtusa e obliterada, quando vota errado e depois brada “mudi dideia”, como disse meu neto ainda na tenra infância.

Pra Frente Brasil (Copa de 70)

De repente…

É aquela corrente pra frente,

Parece que todo o Brasil deu a mão…

Todos ligados na mesma emoção…

Tudo é um só coração!

Parece que todo Brasil está querendo dar as mãos novamente. Só que o mote principal não é a Copa do Mundo e nem a das Confederações. Todos vão ao “circo” sim! Comem muitas vezes o “pão que o diabo amassou”!

São os “pacíficos” que aproveitam para ver a Seleção de futebol e protestar, unindo o útil/necessário ao agradável (quando a Seleção do Brasil ganha… É lógico!). Ainda bem… Ufa! Já pensou se estivéssemos perdendo dentro e fora dos campos? A “bronca” iria ser bem maior!

Diante do clima de brados e gritos do povo indo às ruas, passou-me pela mente um momento da nossa história.

Dos morros do Rio ao Morro dos Guararapes.

A insurreição pernambucana, também referida como Guerra da Luz Divina, registrou-se no contexto da segunda das invasões holandesas do Brasil, culminando com a expulsão dos neerlandeses da região Nordeste do Brasil tornando esta à coroa portuguesa. Em 15 de maio de 1645, reunidos no Engenho de São João, 18 líderes insurretos pernambucanos assinaram compromisso para lutar contra o domínio holandês na capitania. O movimento integrou forças lideradas por André Vidal de Negreiros, João Fernandes Vieira, Henrique Dias e Felipe Camarão. Wikipédia.

Em um resumo da descrição da batalha segundo Lopes Santiago, um cronista da guerra: “Ganhamos todos os canhões do inimigo e muita bagagem, motivo que levou muitos soldados ao saque e à euforia”.

Saquear é cultura insuflada no decorrer dos tempos? Bom… Isso depende da guerra! Já que “guerra é guerra”.

Muitos governantes deste país lutaram para que o coletivo se desenvolvesse. Outros nem tanto. A “borra” que degustamos hoje é a somatória de uma sequência de comandantes que só pensaram em seus próprios interesses. Vamos contratar uma “Presidenta” de Cuba, de Portugal ou da PQP? A atual “mandatária” da nação é o ectoplasma da figura obliterada, da aberração, que deixou a herança grotesca.

Vamos importar algum descendente do Maurício, já que o norte e o nordeste do Brasil continuam carentes?

João Maurício de Nassau

Estabeleceu relações amistosas entre neerlandeses, comerciantes e latifundiários. Estes restauraram seus engenhos com empréstimos concedidos pela WIC, utilizados também na venda a crédito dos engenhos abandonados, visando restabelecer a produção de açúcar.

A Companhia Holandesa das Índias Ocidentais ou Companhia Neerlandesa das Índias Ocidentais (em holandês: West-Indische Compagnie ou WIC) foi uma companhia majestática de mercadores holandeses. Representa um exemplo de organização privada do comércio externo, de pendor capitalista, que contrasta com o modelo de comércio português, que permaneceu fortemente dependente do Estado até bem mais tarde.

A companhia tornou-se instrumento da colonização holandesa nas Américas e foi responsável pela ocupação de áreas no nordeste brasileiro no século XVII.

Nassau incrementou no Nordeste a economia açucareira, introduziu métodos aperfeiçoados de cultivo da cana-de-açúcar e do fumo. Hoje o Nordeste é carente! Todos sabem por que!

Apesar de calvinista, permitiu a liberdade de culto entre holandeses, franceses, italianos, belgas, alemães, flamengos e judeus, que oriundos da Península Ibérica e do norte europeu, foram atraídos para a Nova Holanda por clima de tolerância religiosa que não havia na Europa.

Neste período foi fundada uma sinagoga no Recife, considerada a primeira das Américas.

 

João Maurício de Nassau-Siegen, cognominado “o Brasileiro”, foi conde e príncipe de Nassau-Siegen, um Estado do Sacro Império Romano-Germânico e mais tarde da Confederação Germânica, localizado nas cercanias das cidades de Wiesbaden e Coblença. Wikipédia.

Devemos contratar um “brasileiro” de Cuba, de Portugal ou da PQP? É bem contra isso que o povo está bradando.

É contra os “desgovernos”, que se sucedem sucessivamente sem cessar, que o povo clama! Conclama! Para sair dessa “lama”!

Como muitos leitores desta coluna não fazem parte de redes sociais eu reproduzo parte de um texto muito esclarecedor sobre a “Presidenta”:

Enio Mainardi

Nossos intestinos estão cheios, empanturrados com fatos e verdades não só sobre as mazelas do Planalto. Mas o Congresso… Meu Deus, três bandidos condenados na Comissão de Justiça? O Renan, julgado corrupto, decidindo o que serve para nós, povo brasileiro? Os congressistas, deputados federais, a maioria sendo processada por “malfeitos”, para usar a expressão do FHC? …

O momento é de futebol. Se carnaval o fosse, a presença da torcida seria a mesma. Festa de São João, Ciranda ou o que quer que seja o brasileiro vai “sambar”…

Nem que seja para unir o útil ao agradável! “Curtir” e se manifestar! A Ciranda fala do bom Nassau! O Carnaval fala da Liberdade. O povo repele a Corrupção!

Não vamos falar de partidos políticos e sim de maus elementos que vazem parte de alguns deles. Uma vez me perguntaram sobre a maçonaria ser uma ordem do mal. Havia um irmão que fez algo errado nos conceitos da beatitude. Falei que a maçonaria era uma ordem antiga e honesta. Porém existiam bons e maus maçons. Assim é toda a humanidade. Por isso não podemos criticar instituições partidárias. Acho que assim é melhor para todos, né?

“Entendeu ou quer que desenhe?”

Precisa explicar para o “fenomenal” que uma coisa é uma coisa… Outra coisa é outra coisa!

“Passe Livre”… “Vale Transporte”… “Vale TUDO”!

Musa do Carnaval carioca, Andréa Martins pintou o corpo para protestar na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Andrea, que já foi musa por dois anos seguidos da escola de samba Renascer de Jacarepaguá, está inconformada com os preços cobrados pelas agremiações para que ela possa desfilar na Sapucaí, dentro do Grupo Especial.

Foto: Daniel Ramalho/Terra

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude. A rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.

Rui Barbosa

Aprendeu-se a liberdade…

Combatendo em Guararapes…

Entre flechas e tacapes…

Facas, fuzis e canhões…

Brasileiros irmanados…

Martinho da Vila

Um abraço pro gaiteiro!

Uma resposta para “Aprendeu-se a liberdade…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *