A Lesma A Môsca e A Cobra

A Lesma A Môsca e A Cobra

No ato de diminuir ainda mais a velocidade dos moluscos gastrópodes hermafroditas muitas vezes dizemos que isso ou aquilo é a “Lesma Lerda”!

Se o “bichinho” já é lento pela própria natureza, imaginem sendo “lerdo”.

Claro que a referência usual e coloquial seria uma similaridade com as palavras “A Mesma Merda”, corriqueiramente utilizada para criticar alguma situação de insatisfação que se repete de tempos em tempos.

Quando acordei fui passar meu café matinal.

No primeiro gole senti uma “borra” enrolando a língua.

Engoli o líquido e peguei com os dedos a tal massa estranha.

Era o resto sólido de um “ser alado” do tipo inseto que reputo ter sido uma môsca.

Pensei:

Com tantas disritmias acontecendo no mundo e tanta gente se manifestando sobre os acontecidos, melhor seria ficar calado.

“Em boca fechada não entra môsca”!

A expressão significa que em certas ocasiões é mais prudente manter o silêncio para evitar consequências desagradáveis.

Porém…

“Os lugares mais sombrios do Inferno são reservados àqueles que se mantiveram neutros em tempos de crise moral.”

Dante Alighieri.

Com tantas encrencas surgindo no mundo inteiro, fiquei imaginando outra frase de efeito:

“É cobra engolindo cobra”!

Lembrei-me de um ex-sócio lá no Estado do Tocantins, matuto da região e garimpeiro aposentado, que dizia:

“Cobra que não anda não engole sapo… Mas também não leva cacetada”!

Ponderei a filosofia matuta e sábia fazendo analogias.

Em boca fechada não entra môsca… Mas também não entra nada!

Pela boca morrem os peixes e os homens.

Corpo sem alimento… Torna-se esquálido!

Será a “Lesma Lerda”?

Primeiro, os nazistas vieram buscar os comunistas, mas, como eu não era comunista, eu me calei.

 Depois, vieram buscar os judeus, mas, como eu não era judeu, eu não protestei.

 Então, vieram buscar os sindicalistas, mas, como eu não era sindicalista, eu me calei.

 Então, eles vieram buscar os católicos e, como eu era protestante, eu me calei.

 Então, quando vieram me buscar…

 Já não restava ninguém para protestar.

Martin Niemoller.

Martin Niemoller era filho de um pastor luterano e foi educado para a fidelidade ao imperador com sentimento patriótico alemão.

Depois de concluir o curso colegial, ele ingressou na Marinha como soldado de carreira.

Durante a Primeira Guerra Mundial, serviu como comandante de submarino, vindo a ser condecorado com a Cruz de Ferro.

 Após a guerra, viveu durante algum tempo em Freikorps e estudou Teologia.

Em 1931, foi ordenado pastor da Igreja de Santa Ana em Dahlen, subúrbio de Berlim.

Em 1934, Niemöller acreditava ainda que poderia discutir com os novos donos do poder.

 Numa recepção na Chancelaria em Berlim, ele contestou Hitler, que queria eximir a Igreja de toda responsabilidade pelas questões “terrenas” do povo alemão.

Relato de Martin:

Ele me estendeu a mão e eu aproveitei a oportunidade.

 Segurei a sua mão fortemente e disse:

 Senhor Chanceler, o senhor disse que devemos deixar em suas mãos o povo alemão, mas a responsabilidade pelo nosso povo foi posta na nossa consciência por alguém inteiramente diferente.

Então, ele puxou a sua mão, dirigindo-se ao próximo e não disse mais nenhuma palavra.

“Em boca fechada não entra môsca”?

Hoje encontrei uma postagem complementar em uma rede social:

Agora, os mulçumanos atacaram os judeus, como não sou judeu, não protestei.

Depois atacaram Israel, como não moro lá, me calei.

Agora estão atacando a Europa…

Será que vamos ter que passar por isso de novo sem ninguém protestar?

Mas não param por aí as trocas de mensagens e postagens nas redes sociais.

Penso que só perda, ainda, para as grandes redes de comunicação televisivas.

Será a “Lesma Lerda”?

Abaixo reproduzo postagem, desconheço a autoria, no Facebook:

Fiquei comovido com a tragédia na França.

Resolvi colocar a bandeira francesa no meu perfil do Facebook em solidariedade às vítimas e familiares.

Após 5 minutos começaram a comentar:

Modinha!

 Coloca bandeira da França, mas não coloca a de MG pela tragédia em Mariana.

Resolvi fazer uma montagem e coloquei a bandeira da França e a de MG na mesma foto.

Passaram-se 10 minutos e comentaram:

Seu sulista!

Comove-se com a França, com Minas Gerais, mas não se sensibiliza pela chacina no Ceará que deixou 11 mortos essa semana!

Resolvi então postar uma bandeira do Brasil ao lado de uma bandeira francesa.

Em poucos minutos criticaram novamente:

Modinhas do Facebook com bandeiras da França e do Brasil…

Mas e os atentados no Líbano?

 E em Bagdá?

Já um pouco irritado resolvi radicalizar.

Mudei o perfil e postei uma pomba branca da paz.

Minutos se passaram e comentaram minha foto:

Por que a paz tem que ser representada por uma pomba necessariamente branca?

Claro, o preto é ruim.

 Gato preto traz azar.

 É o racismo embutido nas nossas situações cotidianas…

Sem pestanejar, mudei a foto novamente.

Tirei a pomba branca, botei um urubu, só de pirraça.

Dois segundos depois um Vascaíno escreveu:

Modinhas alienados pela Rede Globo são assim, todos torcem pelo Flamengo!

Apaguei o Facebook!

Entendeu ou quer que desenhe:

“Em boca fechada não entra môsca”!

A III Guerra Mundial estará nas mãos de Angela Merkel, Vladimir Putin, David Cameron, Barack Obama e François Gérard Georges Nicolas Hollande?

Será a “Lesma Lerda”?

“Em boca fechada não entra môsca”?

Ou… “É cobra engolindo cobra”!

A China ainda não apareceu no cenário!

Agora existe o…

Assim… Caminha a humanidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *