Horizonte Vertical

Horizonte Vertical

Vamos mudar o rumo dessa prosa! Quando os assuntos se tornam fatigantes e fatigados, é preciso dar um giro no eixo do universo. Vamos enxergar o mundo por janelas diferentes e usando a imaginação para desenhar uma paisagem em nossos cerebelos! Cérebros belos?

Sim. Escolho a janela e o cenário!

Mesmo que alguém diga: “Esse cara tá com a pá virada”! Devemos responder de imediato: Sim! E daí?

A pá é minha e eu viro a hora que me der na “telha”!

Rebeldia? Claro que não. Só uma forma de variar o ponto de visão das coisas. Em paz, de preferência.

Vou escolhendo o horizonte, o céu, o mar e as cores que minha mente pode produzir. Vou educando os olhos e purificando a visão do mundo que quero ver.

As janelas podem estar se abrindo ou se fechando, assim como aquela história do copo meio cheio… Meio vazio. Dependendo do seu estado de espírito. Quando elogiamos alguém dizendo como a pessoa está linda, recebemos a resposta: “São os seus olhos”! Também! São nossos olhos que informam o exterior para nosso interior. Até o feio pode ficar belo! Ou mais ou menos.

Podemos mudar o rumo da prosa, mas não o rumo do prumo!

Quando fazemos exercícios para o alinhamento dos chakras, podemos usar a cromoterapia.

Chacras ou xacras, também conhecidos pela grafia chakra segundo a filosofia iogue, centros energéticos dentro do corpo humano, que distribuem a energia (prana) através de canais (nadis) que nutre órgãos e sistemas. Wikipédia.

É como colorir por dentro da alma. Assim como a janela aberta para um universo em cores.

Aprumado o homem fica harmonizado. São Horizontes Verticais!

Quando deitamos damos um giro de 90º no eixo axial energético do nosso corpo material e, também, espiritual. Tornamos paralelas e/ou coincidentes as linhas que, por origem, são ortogonais. O alinhamento dos chakras não está sujeito ao constante 9,8 m/s² (metros por segundo ao quadrado) que é a aceleração da gravidade. Quando estamos em pé, essa linha é vertical. Muitas vezes nos confundimos com a regra do “prumo” que é vinculada à força gravitacional.

Vamos mudar o rumo dessa prosa. Chega de geometria, física e metafísica. Falemos de banalidades pendulares.

O casal ainda não tinha ido para a horizontal?

José Dirceu cumprindo a sua pena pelos crimes que cometeu. Publicado em uma rede social.

Esse Zé da foto é um político bem conhecido no Brasil. Logo que um amigo publicou a foto, os comentários surgiram de imediato:

“É desumano este tratamento, deixar os presos queimando ao sol ardente”.

Eu escrevi: Ela é gorda! A resposta “pipocou” de imediato: “Peito no umbigo não veste tomara-que-caia, se não cai no pé”.

Rebati: O Zé tá segurando! Hehehe

Bradou com indignação o interlocutor: “Só se for o saco”.

Comentei que seria uma boa ideia escrever sobre movimento pendular do apêndice! Lembrei-me de escritas do meu pai quando criticava alguns “puxa sacos”.

Dizia ele que alguém esta pendurado no apêndice pendular de tal fulano. Se acertassem um tiro no “saco” do indivíduo, acertaria seguramente a mão do dependurado! Isso é banal e todo mundo conhece.

Mudei o rumo da prosa e não gostei. Esse papo de política já encheu o “saco”. Física e metafisica, química e alquimia, politica poluída e puída… Isso tudo vira a cabeça de qualquer contribuinte dos postos e impostos.

Do inicio dessa lavra até agora, já abri e fechei janelas com paisagens coloridas e em preto e branco. Devo escolher? Como?  Se esse jorro de ideias inúteis abatem meu cérebro belo?  Acho que é isso que eu queria dizer. Saco! Em pé ou deitado?

Vamos mudar o rumo dessa prosa! Quando os assuntos se tornam fatigantes e fatigados, é preciso dar um giro no eixo do universo. Se me vira eu volto… Se me volta eu viro! Movimento constante do pêndulo sem “puxa saco”!

Além do Horizonte deve ter… Algum lugar bonito

Pra viver em paz…

Onde eu possa encontrar…

A natureza… Alegria e felicidade

Com certeza…

Lá nesse lugar…

O amanhecer é lindo…

Com flores festejando…

Mais um dia que vem vindo…

Onde a gente pode…

Se deitar no campo…

Se amar na relva…

Esse lugar bonito deve ser o meu… O seu… O nosso…

Horizonte Vertical

2 respostas para “Horizonte Vertical”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *