Ilusão de Ótica

Ilusão de Ótica

Melissa Forbeck é minha sobrinha neta!

Claro que eu sou “coruja” e… Ela é linda.

Quando eu vi o selfie feito por ela, surgiu uma inspiração para o tema desta lavra.

Imediatamente percebi que a capa desta escrita não poderia ser outra senão o momento do “click” desses olhos expressivos e profundamente translúcidos!

Como arquiteto e místico, fui arremessado á uma “viagem” de estudante inquiridor e pensador.

No primeiro caso, como arquiteto, lembrei-me das aulas de História da Arquitetura onde aprendíamos sobre as várias ordens arquitetônicas gregas, romanas, egípcias e etc…

A simetria era uma das características das construções gregas e foi em parte atingida através de um processo conhecido como entasis destinado a eliminar as ilusões de ótica.

Os gregos aplicaram as correções óticas, onde as linhas retas eram substituídas por linhas curvas.

As arquitraves côncavas, paredes internas e colunas eram inclinadas para dentro, ábacos e cornijas sobressaíam das paredes, o fuste das colunas era reduzido com a altura e as caneluras, menos pronunciadas na parte superior, diminuíam a sensação de tortuosidade. Eram ligeiramente inclinadas para o interior. O espaço entre colunas era ligeiramente menor no centro que nas colunas laterais.

Colunatas gregas

No mesmo diapasão desta elucubração científica inquiridora, entrei no segundo caso da “viagem”! Mergulhei como místico, estudante, inquiridor e pensador.

Fui direto ao Egito! Das Ordens Arquitetônicas pulei, como um felino, para os olhos que minha sobrinha neta fotografou e ilustrei a capa deste texto.

Colunatas egípcias com capitel palmiforme

Existem muitas histórias e estórias sobre os felinos no Egito.

Há relatos de que eles ajudaram os antigos egípcios a combater um de seus piores inimigos, os ratos, que infestavam a região destruindo as colheitas de grãos e cereais, além de espalharem doenças.

Quando notaram que os gatos eram a solução para controlar a população de roedores, os egípcios começaram a tratar os bichanos como membros da família e passaram a encará-los como verdadeiras divindades.

Acredito mais em que a capacidade de um gato, assim como os egípcios falavam, eles conseguem com maior facilidade ver os mortos, espíritos ou energias que nós!

Místico, adiciono o meu “olhar” em que a veneração dos egípcios pelos felinos era o fato de os gatos muitas vezes fixarem o olhar no “nada”!

O que significava que eles tinham uma “terceira visão”, enxergando o que os humanos não podiam enxergar. Como o Olho de Hórus, o olho que tudo vê!

Analisando o direcionamento dos olhares registrados no selfie da minha sobrinha neta e do seu lindo felino, fui buscar mais informações sobre o que seria uma Ilusão de Ótica além das questões relacionadas à arquitetura e às artes de modo geral.

Imediatamente veio à tona a anatomia!

No site “Pequenos Felinos – tudo sobre o seu gato”, encontrei uma análise interessante:

A visão é um dos sentidos mais importante para nós, assim também o é para os gatos.

Apesar de ter muitas características diferentes da visão do homem, é igualmente uma visão frontal, contrariamente aos coelhos que possuem uma visão lateral.

Os gatos têm uma visão de 200 graus, amplamente superior à do ser humano, e o seu eixo de visão é também bastante diferente do nosso.

Os pequenos felinos visualizam mais a parte inferior das coisas, os pés das cadeiras, das mesas e dos seres humanos. Para eles tudo é gigante. Este é um dos motivos porque os pequenos felinos adoram alturas e sobem em tudo para ficarem com uma perspectiva mais semelhante à do homem.

Os gatos não conseguem ver a menos de 20 cm de distância, por isso eles retiram a comida do prato e comem-na a certa distância.

Contrariamente ao ser humano, os pequenos felinos levam a boca á comida e não a comida á boca.

Na prática eles ajustam a comida a uma distância que consigam ver e depois a agarram às cegas, apenas guiados pelo olfato.

Felizmente o seu cérebro compensa esta falta de visão a curta distância com uma precisão milimétrica.

Ao contrário da visão do ser humano, a visão dos gatos funciona como uma lente de máquina fotográfica. Quando o objeto focado é pequeno, e está distante, a visão do gato consegue fazer zoom e aproximar o objeto dando-lhe definição.

Em termos de cores os pequenos felinos conseguem distinguir sem qualquer problema, mas o que lhes prende a atenção é o movimento. Se não tiver movimento certamente tentará que se mexa dando-lhe pequenos toques com as patas.

Conversa pra gato dormir?

Seria isso tudo… Ilusão de Ótica?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *