Ando… Meio Desconfiado!

Ando… Meio Desconfiado!

Está tudo “enquadrado”!

Nosso céu… Nosso Sol… Nosso mar… Nossas montanhas… Nossa floresta… Nosso solo… Nossa mente!

Tudo milimetricamente documentado em coordenadas exatas de cada posicionamento dessa poeira cósmica que envolve o Universo!

 Dá até para saber onde o aviãozinho da FAB está levando algum cara de pau!

Toca o meu telefone celular… Trim… Trim… E do outro lado da linha alguém “grunhe”:

 Alô! Quem está falando?

Antes de responder com outra pergunta, passa-me pela cabeça dizer que é o “Chunda” ou o “Mario”! Contenho-me e respondo (perguntando) educadamente:

O senhor gostaria de falar com quem? (Pensando qual seria o motivo para alguém que liga para o seu telefone pessoal e pergunta quem é). Se for o Barack Hussein Obama II, eu vou achar que é gozação. Certamente ele já deveria saber com quem estava falando. Quem sabe até estivesse me vendo por um espectro de luz qualquer que paira sobre minha aura?

Tudo começou com o mancebo Edward Snowden:

Edward Snowden revelou a sua identidade ao jornal britânico The Guardian. O antigo colaborador da CIA e da NSA tinha acabado de revelar o esquema de espionagem montado pelos Estados Unidos para aceder a dados que permitem reconstruir as vidas e narrativas pessoais através do rasto deixado pelos utilizadores nas redes de telecomunicações.

Até aí… Tudo bem. Não cheguei ainda ao ponto de verificar pela janela se tem alguém olhando em direção da minha casa! Embora corram soltas piadinhas do gênero:

Muitas vezes fico pensando, antes de levantar-me pela manhã, se alguém já não teria ligado meu computador a distância e feito uma bela “bagunça” usando minha identidade pessoal! Ou, quem sabe, feito um “gato” em minha linha telefônica fixa? No telefone móvel não haveria fios expostos. Tudo é feito no éter mesmo.

Não me lembro de ter desconfiado da babá quando, na tenra infância, mamava sem ter o conhecimento do conteúdo da mamadeira! Eu poderia até ter desconfiado se sentisse um gosto de “jabá” com mamão batidos no liquidificador. Será que ela estaria querendo me envenenar com uma pitada de pimenta?

Também não tive qualquer sentimento de perseguição em minha adolescência. Mas desconfiava de algumas coisas do gênero: “Passei pomada Minâncora na cara objetivando acabar com aquelas espinhas apelidadas de ‘Chokito’ e todo mundo estava olhando para minha cara”.

Com todos os acontecimentos ocorridos neste momento histórico nacional, Ando… Meio Desconfiado!

Começo a pensar em teoria da conspiração e “escambau”. Tem um monte de gente botando o “bedelho” em tudo.

Teoria da conspiração (também chamada de conspiracionismo) é qualquer teoria que explica um evento histórico ou atual como sendo resultado de um plano secreto levado a efeito geralmente por conspiradores maquiavélicos e poderosos, tais como uma “sociedade secreta” ou “governo sombra”.

As teorias da conspiração são muitas vezes vistas com ceticismo exagerado e por vezes ridicularizadas e mesmo desacreditadas, uma vez que raramente são apoiadas por alguma evidência conclusiva, contrastando com a análise institucional, cujo foco é o comportamento coletivo das massas em instituições conhecidas do público, tal como é descrito em materiais acadêmicos e relatos dos médios “mainstream” *, de modo a explicar acontecimentos históricos ou atuais sob o ponto de vista dominante (governos, instituições, opinião pública popular), ao invés de associações secretas de indivíduos. Por este motivo, o termo Conspiração é muitas vezes usado de forma depreciativa, na tentativa de desacreditar e caracterizar uma dada crença como bizarra, irracional e falsa, cujo apoiante é ridicularizado e considerado um excêntrico, ou um grupo de lunáticos. Tal caracterização é muitas vezes objeto de disputa, por serem muitas vezes injustas e inexatas.  

No final do século XX e inícios do XXI, as teorias da conspiração tornaram-se um lugar comum nos meios de comunicação, o que contribuiu para o conspiracionismo emergente enquanto fenômeno cultural. Acreditar em teorias da conspiração tornou-se, assim, num tema de interesse para sociólogos, psicólogos e especialistas em folclore.

*Mainstream (“corrente principal”) é um termo inglês que designa o pensamento ou gosto corrente da maioria da população. É muito utilizado atualmente referindo-se às artes em geral (música, literatura, etc.).

Contudo, Ando… Meio Desconfiado!

O povo está indo às ruas protestar contra a ineficiência governamental. Povo ferido! Há alguma coincidência entre as “espionagens” e as manifestações? Existe relação entre os acontecimentos?  Sei lá… Pergunta para o Barack Hussein Obama II! Ou para o Ministro das Comunicações Paulo Bernardo!

Segundo ele, a internet é controlada pelas grandes corporações internacionais e pelo governo dos Estados Unidos, “que têm vinculação contratual privilegiada com a Icann“, empresa privada sediada na Califórnia e responsável pela coordenação global do sistema de identificadores exclusivos da Internet.

E eu… Ando… Meio Desconfiado!

Principalmente quando leio um artigo de Waldo Luís Viana que é escritor, economista, poeta e já está, realmente, com o “saco cheio”.

No Brasil, porém, temos uma agência que tenta copiar os trâmites burocráticos dos serviços secretos do resto do mundo. Apesar da intenção, formou-se uma caricatura grotesca, constituída por servidores públicos a ela alçada por concurso e arapongas de ocasião, terceirizados à sorrelfa. Ambos os grupos fazem clipes de notícias velhas e recentes de jornal e grampeiam telefones de forma atropelada. Servem apenas informes à presidência no café-da-manhã, trazendo relatórios que nem sempre antecipam acontecimentos, como os das últimas semanas, que deixaram o governo perplexo e o poder vigente com a cara no chão.

É assim, em rápidas pinceladas, que o mundo funciona. Mesmo nos Estados Unidos, há uma escala de informações secretas de níveis 1 a 17 e o próprio presidente só é cientificado até o nível cinco, porque os serviços secretos sustentam sempre a possibilidade de que um homem, mesmo no comando de uma Nação de força global, possa enlouquecer…

Eu não tenho acordado muito assustado porque também não tenho dormido muito sem susto! “Durma com um barulho desses”!

E eu… Ando… Meio Desconfiado!

Será que é verdade? Foi enriquecimento lícito? Ou foi obra do “Vivaldo”? Assim é o Estádio Vivaldão em Manaus! Na Amazônia? Estão de gozação? Vai ter tanto cacique para tanto índio quando acabar a Copa de 2014?

E eu… Ando… Meio Desconfiado!

No último balanço oficial, a previsão de custo das obras para a realização na Copa do Mundo no Brasil chegava a R$ 25,5 bilhões. Agora, o ministério do Esporte já estima que esse valor seja de R$ 28 bilhões, um aumento de cerca de 10%. Mas o próprio governo admite que esse número ainda possa subir mais até 2014.

Enfim… O Brasil é uma Aquarela com ou sem quirela!

A canção “Aquarela do Brasil” recebeu esse título porque foi composta numa noite de 1939 na qual Ary Barroso foi impedido de sair de casa devido a uma forte tempestade.

Naquela mesma noite, também compôs “Três Lágrimas” antes que a chuva acabasse.

Antes de ser gravada, “Aquarela do Brasil”, inicialmente chamada de “Aquarela Brasileira”, foi apresentada pelo barítono Cândido Botelho no musical Joujoux e balangandans, espetáculo beneficente patrocinado por Darcy Vargas, a então primeira-dama.

A canção foi originalmente gravada por Francisco Alves, com arranjos e acompanhamento de Radamés Gnattali e sua orquestra, e lançada pela Odeon Records naquele mesmo ano.

Foi também gravada por Aracy Cortes e, apesar da popularidade da cantora, a canção não fez sucesso, talvez por não tiver se adequado bem à voz dela. E assim caminha… A brasilidade! Fui! E eu… Ando… Meio Desconfiado!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *