Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Mais de 350 milhões de Deprimidos.

Estudo realizado pela Organização Mundial da Saúde mostra que aproximadamente 5% da população mundial sofreram com a depressão nos últimos anos.

Um amigo meu disse para eu jamais fazer 60 anos… Era uma merda ser sexagenário… Sexogenário!

Fiz… Foi mesmo uma merda!

Hoje com sessenta e “uns” anos constatei que ele tinha razão. No ano passado estive com outro amigo, excelente médico, Dr. Cláudio Paciornik, filho do brilhante saudoso Moysés Paciornik, que me disse: “Marco, a Depressão é a doença do século”. Cantou mais a bola ainda: “Até o ano 2020, o percentual de deprimidos no mundo será inimaginável”.

Moysés Goldstein Paciornik (4 de outubro de 1914 — 26 de dezembro de 2008).

Formou-se em Medicina em 1938. Em 1959 fundou o Centro Paranaense de Pesquisas Médicas, do qual foi diretor.  O centro dedicava-se à prevenção do câncer ginecológico e estendeu os serviços às reservas indígenas no sul do Brasil, época na qual Moysés tornou-se partidário do parto de cócoras, ao observar que as índias da tribo caingangue, mesmo tendo muitos filhos, tinham uma musculatura mais firme do que as mulheres da cidade.

Numa reportagem da revista Veja, é feita uma análise da situação atual.

“As mulheres são mais propensas a sofrer com a depressão do que os homens”, afirmou Shekhar Saxena, diretor do Departamento de Saúde Mental e Abuso de Substâncias Psicoativas da OMS. O número de mulheres afetadas pela depressão é 50% mais elevado que o dos homens. Esta maior prevalência nas mulheres se deve principalmente à depressão pós-parto, que afeta até uma mãe em cada cinco.

A depressão, segundo a OMS, é diferente das mudanças de humor mais comuns. Ela se manifesta por um sentimento de tristeza que dura, ao menos, duas semanas, e que impede a pessoa de levar uma vida normal. É fruto da interação de fatores sociais, psicológicos e biológicos. Em muitas ocasiões, está relacionada com a saúde física. Uma doença cardiovascular pode, por exemplo, desencadear a depressão no enfermo. Além disso, em circunstâncias particulares, como as dificuldades econômicas, o desemprego, as catástrofes naturais e os conflitos podem aumentar o risco de a pessoa sofrer com a depressão.

E o mundo está vivendo com constância esses últimos conflitos.

Nos casos mais graves, a depressão pode levar ao suicídio. Cerca de um milhão de pessoas se suicida a cada ano e uma grande porcentagem delas padece de depressão profunda. “Mais de 50% das pessoas que se suicidam sofriam de depressão”, diz Saxena.

Google – Descoberta a causa do tsunami no Japão.

O gordinho estava deprimido… Comeu muito… Mergulhou… Causou a Catástrofe Natural…

O mundo mudou com as dificuldades econômicas.

Google – Imagem

De tanto frequentar as redes sociais pela internet, o homem se deprimiu… Ficou tão bravo que pegou o celular para reclamar sobre a conexão… Não TIMnha sinal!

Ficou na calçada durante tanto tempo que nem banho tomava. Dentro da casa dele não pegava nem “resfriado”!

Ficou se deprimindo na rua mesmo.

Esse aí não se suicidou. Gostou do salário na canequinha!

Google – Imagem

Esse cidadão resolveu ir se deprimir no aconchego do seu veículo… Tinha horror ao relento. Era o homem se tornando um farrapo humano!

A mocinha Lado a Lado dizia: “Essa cara sou eu…”.

“As mulheres são mais propensas a sofrer com a depressão do que os homens”.

Shekhar Saxena.

Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Viajei pelo mundo tentando entender a Depressão.

Locais Exóticos… Eróticos… Neuróticos…

Lembrei-me de “O Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley, que narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade organizada por castas. A sociedade deste “futuro” criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que regem a sociedade atual. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos eram dissipadas com o consumo da droga sem efeitos colaterais aparentes chamadas “soma”. As crianças têm educação sexual desde os mais tenros anos da vida. O conceito de família também não existe.

Acho que minha sogra tomou isso. Relatei em artigo anterior “Vítimas do Delírio”.

Ela não se deprime. Fica triste de vez em quando. Com razão.

Ali onde ela chorou… Qualquer um chorava…

Dar a volta por cima que ela deu… Quero ver quem dava!

Lembrando um passado lastimável de uma humanidade insensível com síndrome de obsessão compulsiva ela sobreviveu com amor e alegria os momentos de depressão da população insana da guerra.

Sabine Wahrhaftig – Depoimentos em Sobreviventes.

Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Com ela nem estátua se deprime… KKK

Características da depressão

Tristeza, Perda de interesse, Ausência de prazer, Oscilações entre sentimentos, Sensação de culpa, Baixa autoestima, Distúrbios do sono, Falta de apetite, Sensação de cansaço, Falta de concentração.

Grandes nomes que viveram deprimidos

Alexandre, o grande. Napoleão Bonaparte. Abraham Lincoln. Theodore Roosevelt. Winston Churchill. George Patton. Isaac Newton. Michelangelo. Van Gogh. Edgar Allan Poe. Ludwig Beethoven.

Como diria a Roberta, sobrinha nossa: “Atenção! Cavaleiros… Vamos Cavalar”!

Google – Imagem

As crianças possuem uma capacidade divina de brincar com a vida. Os homens deveriam observar mais quem leva a vida leve… Levada… Traquina!

Google – Imagem

Como lá nas Minas Gerais não tem mar, o mineirinho, em frente do lago pensa:

Dôncô vim?… Ôncôto?…Prôncovô?

Foi pro mar… Ops!

Foi para o iate do Neymar…

Google-Imagem

Deprimente… Melhor ter ficado na lagoa da Pampulha.

Tinham muitos elementos em depressão naquele iate.

A moça adiante estava tão deprimida que pediu para ser levada de volta para a Barra da Tijuca.

Mineirinho no Rio de Janeiro é festa…

Foto: Marcos Fortes/Site do Multishow

O jogador de futebol ficou deprimido. Gastou R$ 18 milhões para adquirir um receptáculo marítimo de deprimidos.

Agora vamos voltar a falar sério. O assunto é preocupante.

Os investimentos na Saúde são de todo insuficientes para equilibrar as mazelas do setor. Quando não são canalizados para outros segmentos da administração.

É voz corrida que aqui no Paraná, o Governo deixa de investir R$ 450 milhões em saúde no orçamento de 2013.

Disseram na Assembleia Legislativa, que o governo não está contabilizando os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para calcular os 12% que a Constituição Federal manda os estados investirem em educação. Antes, o governo incluía nas dotações para a saúde os gastos com saneamento, hospital militar, SAS, pensões aos portadores de hanseníase, programa Leite das Crianças, Funsaúde e proteção à saúde do adolescente, o que fazia com que ilusoriamente se cumprisse os 12%, mas, na realidade, a área perdesse recursos. Também foi lembrado que o Tribunal de Contas do Estado recomendou “que o governo se abstenha de excluir da base de cálculo da receita de impostos os repasses do Fundeb, seja por inexistir base legal para tais exclusões, seja porque o critério da Constituição, em se tratando de direitos fundamentais, é o ampliativo e não o coercitivo”.

Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Como diria a Roberta, sobrinha nossa:

“Atenção! Cavaleiros… Vamos Cavalar”!

Aliás, foi a pequena Roberta, 4 anos, quem me despertou para a escolha do tema. Quando ela viu que cada um dos convivas do jantar estava arriado nas poltronas, ela pegou um guarda-chuva, montou como em cavalo, e gritou para todos…

“Atenção! Cavaleiros… Vamos Cavalar”!

Daí eu pensei…

“Atenção! Deprimidos… Vamos Deprimir”!

Segundo a Prof. Dra. Márcia Gonçalves, a depressão foi diagnosticada como doença há menos de 50 anos.  Hoje, estima-se que 340 milhões de pessoas sofrem do mal em todo o mundo. O Brasil tem 10 milhões de deprimidos O consumo mundial de antidepressivos já chega a US$ 7 bilhões por ano. No País, esse mercado movimenta US$ 133 milhões/ano.

Daria para comprar quase 15 iates do Neymar.

O Dr. Cláudio Paciornik já cantava essa bola. Confirmada pelo Prof. Raymond De Paulo:

A depressão é o câncer do século 21. O alerta foi feito, por especialistas, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça. Os médicos recomendaram que empresários e governos destinassem mais recursos para as pesquisas para combater a doença, que afasta milhões de pessoas do trabalho, ocasionando queda na produtividade das empresas. Raymond De Paulo, professor de Psiquiatria da Escola de Medicina do Hospital John Hopkins, em Baltimore (EUA).

Vou ali me Deprimir um pouquinho e… Já Volto!

Confesso que já estou com vontade de voltar logo. Ufa… Não é fácil “pegar galinha pela orelha”.

Antes de voltar ao normal, vamos visitar alguns lugares deprimentes.

Manihi Pearl Beach Resort em Arquipélago de Tuamotu, Polinésia.

O mineirinho lá do píer em busca de se libertar da depressão, comandou seu cérebro e criou o mundo que queria. Nem deu bola mais para a amiguinha do iate do Neymar.

Polinésia Francesa

Agora chega de depressão. Vamos voltar à alegria, a saúde, à vida…

Vamos viver essa Roda Viva…

Vamos ser felizes…

Assim deve caminhar a humanidade.

Vamos abrir os caminhos em busca da Luz Maior e “largar mão” dessa tal Depressão…

Hava Nagila (Alegremo-nos)!

Alegremo-nos e sejamos felizes…

Cantemos, e sejamos felizes…

Despertai irmãos…

Com um coração contente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *